16 de Junho de 2019,

Política

A | A

Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h:38 | Atualizado:

"BOMBINHAS DE TAQUES"

Secretário revela que Saúde deve 25% do Orçamento e sugere que MT decrete calamidade econômica

Figueiredo aponta que débitos chegam a R$ 430 milhões com fornecedores e municípios

gilberto-figueiredo (1).jpg

 

“O Governo do Estado já reúne condições para decretar Estado de calamidade pública nas finanças”. Essa foi à avaliação do secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo após assumir a pasta no início da nova gestão do governador Mauro Mendes (DEM). 

O secretário revela que não existe organização administrativa e financeira dentro da Secretaria e que só conseguiu ter conhecimento de todos fatos existentes depois de assumir o cargo. Ele lembra que não houve a contrapartida das informações por parte do ex-secretário Luiz Soraes. “Não há uma área sequer que se encontre algo organizado e em especial nos fatos e atos administrativos que envolvem a gestão da rede hospitalar do Estado de Mato Grosso sob tutela da Secretaria de Saúde. Nós entramos dia 2 na Secretaria e sequer fomos recepcionados pelo secretário anterior ou por qualquer um adjunto desta pasta”, disse em entrevista a Rádio Capital, na manhã desta sexta-feira (11), em Cuiabá.  

Ele conta que foram constatados vários problemas de ordem financeira dentro da Saúde, entre eles, serviços pagos por processo indenizatório, sem sequer ter contrato emergencial de prestação de serviço. Ainda revela que as aquisições feitas, foram realizadas da mesma maneira, com pagamento indenizatório.

Por isso, a consequência para essa quitação dos restos a pagar de 2018, chega a R$ 430 milhões, o que representa 25% do orçamento previsto para 2019 na ordem de R$ 2 bilhões. “Hoje, sequer temos condições de honrar os compromissos de janeiro de 2019 quanto mais pagar débitos anteriores. Estamos todos agonizando. O Governo do Estado já reúne condições para decretar Estado de calamidade pública nas finanças”, sugeriu. 

Gilberto também afirma que a equipe de Mendes teve imensa dificuldade para acessar informações consideradas relevantes para  conhecer a pasta. No entanto, ao assumir a gerência da Secretaria, pode averiguar que existe uma "contingência brutal" em todas as áreas da Saúde.

Como exemplo, ele citou o caos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “Um serviço prestado por mais de 40 médicos sem nenhum vínculo com o Estado, com mais de cinco meses de atraso salarial. Isso é praticamente o exemplo de quase todos os serviços prestados na rede hospitalar do Estado de Mato Grosso, nos hospitais gerenciados pela Secretaria de saúde”, relata.  

O secretário ainda pontua que, antes de tomar posse do cargo, sabia das condições da saúde pública, mas ficou surpreendido ao constatar que a situação era mais frustrante. “Quando recebemos o convite do Mauro Mendes para essa importante missão, que tem haver com seu principal compromisso de campanha, já imaginávamos da complexidade que é gerir uma pasta da tamanha envergadura e importância para toda população, mas não imaginávamos o caos estabelecido que se encontra dentro desta área no Estado, naquilo que concerne as responsabilidades do Governo do Estado nesta área”, disse espantado. 

Por fim, ele considera que parte dos problemas na saúde foram arquitetados pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB), que deixou várias surpresas “desagradáveis” e que estão explodindo na atual gestão. “Existiu não sei se de forma deliberada umas minas, bombinhas armadas para explodirem no início do ano, mas é muito complicado”, revela. 

 

Postar um novo comentário

Comentários (21)

  • Ligia | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 15h45
    4
    0

    Sinto muitissimo por essa calamidade, mas acho otimo a verdade aparecer, pois tanto eu quanto Dr Roberto pagamos caro por dizer a verdade durante esse governo corrupto. Fomos perseguidos, humilhados e destratados, mas estamos de cabeça erguida. Eis ai a mentira e a desgovernança de quem se dizia o dono da verdade...agora, quem dizia a verdade na epoca das dificuldades do HRSorriso? E vcs acham que esta tudo bem? Vao la e vejam. Eis a dura realidade!!!!

  • Mariano | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 14h01
    5
    0

    Mariana... portugues?? É matematica,filho! Roubo de 20 bilhoes do Pedro Taques !! Cadeia nesse povo todo e devolução!

  • Cláudio | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h53
    2
    1

    Olha só que é tudo errado atrapalhado bagunçado todos nós sabemos já, a questão principal ai é o dinheiro a grana o berere que não tem pois se tivesse tava tudo certo bonitinho uma maravilha bora pra frente, então ja pede pra sair logo e vai sentar sua bumba gorda na poltrona da casa dos horrores e meorder uns 150 mil por mês sem fazer porra nenhuma tbm pronto falei !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Xô mano hummm ?????

  • Carolsintra | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 13h17
    1
    1

    Senhor secretário, creio q já era de vossa excelência a situação da SES, até pq o senhor participou da equipe de transição, visitando os hospitais regionais a SAMU .....etc, mais estou vendo q vossa excelência não tem um plano de ação, emergencial ou um planejamento pra solucionar o problema q se arrasta de governo anteriores, A SAMU entrou em greve, agora só falta os HR, entrar em greve pra saúde de Mato Grosso vire um caos, Os médicos dos HR estão com 3 meses de salários, inclusive c HR Administrado pela própria SES!

  • Joaopedrobarbosa | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h59
    0
    1

    Secretário, o senhor já tinha idéia como se encontrava a secretaria de saúde, fez parte da equipe de transição, visitou todos os hospitais regionais...etc. esperou assumir, cadê um plano de ação do governo MM p saúde? um planejamento pra saúde? E de conhecimento do senhor antes de assumir as pasta da saúde, q o estado não pagava os médicos da SAMU, e dos Hospital Regionais, inclusive aqueles HR administrado pela própria SES, só está faltando entrar em greve os Hospitais Regionais, aí vai virar um caos a saúde de Mato Grosso!

  • Fernando | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h49
    0
    0

    Secretário vc agora vai fazer igual governo anterior ficar olhando no retrovisor vai trabalhar fazer as mudanças necessárias se não consegue peça pra sair

  • Luiz antonio | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h46
    1
    0

    Sr.secretario hoje o que está funcionando bem o mau são os hospitais regionais que atende os municípios da regiao e quem está aguentando são os funcionários e médicos que está com salário atrazado desde outubro de 2018,e preciso priorizar os recursos e pagar os médicos .

  • Analista Político | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h31
    7
    0

    Quando o Folha Max vai começar a bater duro no Pedro Taques? Bombinhas é o caralho, isso é bomba atômica

  • raimundo nonato | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h25
    0
    4

    Olá é só convidar para continuar na SES o ex-secretário Sr. Luiz Soares, fica aí a dica. O senhor Gilberto Figueiredo só está vendo problemas.

  • Teka Almeida | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h09
    8
    0

    K-Man concordo com vc em partes. Assumo a minha responsabilidade ao votar num INCOMPETENTE, até porque confiamos. Mas os MAIORES CULPADOS são a ALMT/BOTELHO, recebeu pelo menos umas 3 denúncias e arquivou todas. O TJMT onde se omitiu mesmo com os duodécimos em atrasos cruzou os braços e se fez de cego e surdo. MPE ao ver todas as mazelas tambem cruzaram os braços e se fizeram de cegos, surdos e mudos e o TCE, mais conhecido como Tribunal de Faz de Contas que não é capaz de identificar uma maracutaia nas contas de forma antecipada, não é capaz de identificar uma conta maquiada e ai saiu e sai aprovando todas as contas do DESgoverno. Hoje Mato Grosso está ABAIXO DA FOSSA graças a esses PUXADINHOS que baixavam suas cabeças, AMEM.... Deveria ter uma lei que tirasse os bilionários duodécimos para quitar esses débitos, depois voltariam a receber. Agora tratem logo de prender o meliante.

  • Fernando | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 12h03
    2
    1

    Secretário vc vai ter dificuldade por não ser da área vc precisa está assessorado por técnicos qualificados e comprometidos com o SUS e com estado, estou vendo que as exonerações está praticamente na mesma proporção das nomeações e preciso ter plano de gestão falta gestão de qualidade ou seja menos política e mais gestão.

  • Carolla Silva Gonçalves | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h49
    1
    0

    A questão da saúde pública esta na desordem do recebimento de liminares, pois com mandado judicial se contrata serviço sem devido licitação e por ai vai abrindo portas para roubos no cofre público e gerindo ainda mais corrupção, senhor secretarios, mantenha equipe que travalhe arduamente em favor de um bem comum a todos, não em favor de interesse próprio , sente com orgãos do poder judiciario, apresente os serviços habilitados pelo sus, e aqueles que não estão , levante os custos de paciente q deram entrada pelo sus com liminar para exames, e cirurgias, esse trabalho precisa ser arduo, coloque os funcionários de carreira para trabalhar e não ficar passando o tempo jogando bolinha no computador...

  • Claudia ribeiro | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h27
    7
    3

    Gesuys ja estou com ranço desse MM ....só fala em crise...nao tem dinheiro....ptx 2. Sabia q ia ser ruim essa gestao....mas nao no nivel d descaramento q esta sendo. #grevegeral

  • Jose | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h15
    5
    0

    A VERDADE É R$20 BILHÕES EM FRAUDES!Não se pode esquecer de apurar e recuperar todos os desvios e fraudes do desgoverno pedro taques da transformação do estado em caos e roubalheira, os quais juntos já SOMAM $20 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos $20 bilhões: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin e vários secretários com R$50 mil/mês por fora; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $230 milhões do fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juiza candidata para ferrar o silval e a familia dele. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados e estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos

  • Contribuinte | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h13
    15
    0

    O governo da transformação quebrou o Estado.

  • Mariana | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h11
    3
    0

    QUERIDO JOSÉ....ultimamente a leitura das noticias nos arrepiam, não bastasse a violência estampada, nos deparamos com erros graves de português que, na minha opinião, são inadmissíveis para jornalistas e professores. Se a formação de base foi fraca, a leitura diária de conteúdos dos mais variados ajuda a formular frases, ideias, pensamentos e a APRENDER vocábulos novos! Fica a DICA, LEIAM!

  • Leila alencar | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h10
    5
    3

    Mauro Mendes adota a mesma Pirotecnia utilizado pelo governador Taques do começo até o termino do seu mandato, reclamando, acusando, blasfemando, a unica defesa da incompetência é o Ataque .

  • K-Man | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h04
    16
    0

    Nós povo do MT somos os verdadeiros culpados por essas mazelas que acontece no Estado. Quando teremos vergonha na cara de não mais aceitar que essas raposas gananciosas administrem o estado?! O caos do MT é a má administração desse políticos avarentos, amantes de sí próprio, que além de serem ricos ainda lutam pelo poder.

  • alexandre | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h59
    12
    2

    Por isso é importante e necessário cortar em 30% os duodecimos dos Poderes, é preciso fazer dinheiro novo, face ao descontrole da conta unica, não dá pra fazer primo rico e primo pobre, num mar de necessidades, sem ajustes, com paleativo de 0,5% não faz nem cocegas mediante o rombo...

  • José | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h47
    12
    1

    Pelo amor dos meus filhinhos.... "que tem haver com seu principal compromisso".... Larissa, "haver" é verbo, corresponde a "existir", assim você estupra nossa língua pátria. O correto seria "tem a ver..."

  • jose rubens neto | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h45
    19
    6

    a equipe de transição sabia de tudo como andava o orçamento do Estado , agora querem sacanear funcionário publico e fazer pirotequenia..... vai trabalhar Governador e Equipe , para isso que foi eleito .....se ta ruim pede para sair

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS