02 de Julho de 2020,

Política

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

JANETE NO TCE

Servidores da AL reagem a manifestações contra indicação de Janete

janete-vota.jpg

 

O interventor do Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (Sindal), Ataíde Pereira Almeida, criticou as manifestações articuladas pelos servidores do Tribunal de Contas do Estado (TCE), quanto à indicação ao cargo de conselheiro da Corte de Contas à vaga deixada por Humberto Bosaipo, que renunciou no início da semana.

De acordo com Ataíde, cabe à Assembleia Legislativa, a indicação do conselheiro, conforme prevê a constituição.

“Repudio a atitude do Sindicato e associações ligadas ao TCE, que tem desrespeitado, de forma maldosa, a Assembleia Legislativa. Gostaria de saber a mando de quem, a serviço de quem e o motivo de estarem realizando essa manifestação infundada, pois desejam descumprir a constituição federal de 1988. Além do mais, muito estranha esse movimento agora, que nunca foi feito na história daquela Corte de Contas, ninguém nunca questionou a indicação dos demais conselheiros”, criticou.

O sindicalista lembrou que o TCE é um órgão auxiliar à Assembleia Legislativa, que essa indicação a vaga de conselheiro é por direito constitucional, de escolha dos 24 deputados estaduais. “Não importa quem seja o indicado, apenas queremos que o sindicato do TCE respeite a independência do Poder Legislativo, não abrimos mão disso. O indicado precisa preencher os requisitos necessários e constitucionais para ocupar o cargo. Se realmente desejam mudanças, deveriam ter usado todas as prerrogativas legais para buscar alterações na lei. Quero deixar claro que estamos abertos a fazer essa discussão futuramente com esse e qualquer outro sindicato para sugerir mudanças na lei”, garantiu o interventor Ataíde Pereira de Almeida.

O interventor também questiona o desejo do sindicato do TCE de que um membro da Corte de Contas seja indicado para o cargo. “Sendo assim, a Assembleia Legislativa também conta com servidores altamente qualificados, que podem ocupar qualquer cargo, como o de conselheiro do TCE”.

DECLARAÇÕES DE TAQUES – Diretor administrativo da próxima gestão do Sindal, que toma posse no dia 2 de janeiro, Edson Angelo da Silva, criticou as declarações do governador eleito, Pedro Taques (PDT), sobre a indicação da Assembleia Legislativa ao cargo de conselheiro do TCE.

“O governador precisa lembrar que a campanha acabou. Essa Casa de Leis foi duramente atacada por ele, os servidores questionam isso. Toda a posição que a Assembleia Legislativa toma, é alvo de represálias do Pedro Taques. Nenhum integrante do Poder Legislativo questionou a nomeação dos seus secretários, pois respeitamos a independência dos poderes”, disse.

O interventor Ataíde Pereira, foi além e questionou se o governador eleito quer implantar o Poder Moderador em Mato Grosso, que era um dos quatro poderes da Constituição Brasileira de 1824. “O Pedro Taques quer que tudo que acontece nesse Estado passe pelo crivo dele?”

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS