18 de Agosto de 2019,

Política

A | A

Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 14h:50 | Atualizado:

OPERAÇÃO SODOMA

STF proíbe procurador condenado por corrupção em MT de viajar sem autorização judicial

Chico Lima é apontado como membro da organização criminosa chefiada por Silval Barbosa em Mato Grosso


Da Redação

chicolima.jpg

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) negou provimento ao pedido feito pela defesa do procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, para se livrar da obrigação de comunicar à justiça sempre que fosse viajar. A decisão foi proferida pela ministra Rosa Weber no dia 16, impedindo que o ex-procurador saia de Mato Grosso sem autorização prévia.

Os representantes de Chico Lima pretendiam ampliar a suspensão de medidas cautelares já autorizadas pelo próprio STF, como a retirada da obrigatoriedade do uso de tornozeleira eletrônica. Chico Lima responde a vários processos na Justiça por atos de corrupção cometidos durante a gestão do ex-governador Silval Barbosa. Dentre estes, segundo a investigação levada a cabo pelos agentes, delegados e investigadores da Delegacia Fazendária (Defaz), a participação em um esquema de desvio de dinheiro público durante a desapropriação de um terreno localizado no bairro Jardim Liberdade, em Cuiabá, no valor de R$ 31,7 milhões.

O ex-procurador também é réu em ações penais por corrupção e desvio de milhões de reais por meio de diferentes esquemas já admitidos pelo ex-governador Silval Barbosa em sua delação premiada sancionada no STF. 

Todos esses processos foram propostas pelo Ministério Público Federal (MPF) contra, além de Silval Barbosa, seu ex-chefe de gabinete, Sílvio Cezar Corrêa Araújo, os ex-secretários Pedro Nadaf, Marcel de Cursi, Arnaldo Alves de Souza Neto e o ex-presidente do Intermat, Afonso Dalberto.

VISITA A MÃE

Apesar de querer "livre acesso" para viagens, Chico Lima tem recebido autorizações judiciais para viajar. Em dezembro, foi liberado para passar as festividades de fim de ano no Estado do Rio de Janeiro, onde também possui residência.

Em março deste ano, o juiz Jorge Tadeu Rodrigues o liberou para acompanhar a cirurgia de sua mãe, também no Rio de Janeiro. Na ocasião, a matriarca da família Lima havia sofrido um acidente doméstico e necessitava de uma intervenção cirúrgica.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • JUSTICEIRO | Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 15h47
    3
    1

    SO DE UMA COISA O MATO GROSSO TA DEVENDO ATE A ZORBA DEVIDO ESSES ROUBO POLITICO, SE O BRASIL FOSSE IGUAL U.S.A ISSO NÃO TERIA ACONTECIDO....POIS CADA ANO QUE PASSA P MATO GROSSO TA INDO NA FALENCIA, POIS NEM COMPENSA PARTICIPAR DESSAS LICITAÇÕES DO GOVERNO, SENÃO JA SABE IRA FICAR SEM RECEBER...DEVIDO ESSES POLITICOS CORRUPTOS, PRISÃO SEM FIANÇA E MORDOMIA.....ESSA JUSTIÇA E UMA MERD......

  • Zeus | Segunda-Feira, 22 de Abril de 2019, 15h29
    8
    3

    Esse senhor sera que ainda recebe do Estado de Mato Grosso salário. Se recebe essa justica nossa vira uma injustiça. Prisão para esse senhor e logo.

Matéria(s) relacionada(s):

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS