03 de Julho de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 18 de Março de 2014, 22h:58 | Atualizado:

OPERAÇÃO LAVA JATO

Suplente de deputado é sócio de empresa investigada pela PF

avalone

 

A Juruena Participações, grupo que integram as construtoras Métrica e Três Irmãos, responsáveis por cinco obras da Copa de 2014,está sendo investigada pela Operação Lava Jato em Cuiabá, da Polícia Federal. Na sede da Juruena e da Métrica policiais federais cumpriram mandados de buscas e apreensões. 

Desencadeada esta semana pela Polícia Federal em seis estados e no Distrito Federal, essa operação apura quatro grupos criminosos que atuavam de diversas formas, incluindo desvio de recursos públicos, evasão de divisas, extração ilegal de pedras preciosas e tráfico de drogas. Esses grupos já teriam movimentado mais de R$ 10 bilhões em operações ilegais. 

Das cinco obras em execução, duas foram concedidas de maneira direta, sem licitação. Esses são os casos das trincheiras Ciríaco Cândia e do Verdão/Santa Isabel, assumidas pela Métrica Engenharia após abandono das obras pela Ster Engenharia, em abril de 2013. Juntas custarão pouco mais de R$ 30 milhões(R$ 7,5 milhões e R$ 23 milhões, respectivamente). 

Já na lista da construtora Três Irmãos, da família Avalone, do suplente de deputado estadual Carlos Avalone, estão três obras. São: a ponte Benedito Figueiredo(travessia para Coophema e São Gonçalo Beira Rio), Centro de Treinamento da UFMT, Avenida Antônio Dorileo (interligando a mesma ponte) e ruas no entorno da Arena Pantanal. São mais de R$ 25 milhões em contratos para execução de obras dentro de Cuiabá. 

Duas das mais importantes obras concluídas já apresentaram problemas. A ponte Benedito Figueiredo, por exemplo, está interditada porque apresentou infiltração e desmoronamento. 

Infiltrações também levaram à interdição temporária da trincheira Ciríaco Cândia(trincheirinha) que, apesar de liberada para o tráfego, ainda depende de reparos. 

O secretário Secopa, Maurício Guimarães, se limitou a informar, por meio da assessoria de imprensa, que ficou sabendo da ação policial pelos meios de comunicação e da mesma maneira está acompanhando as investigações. Já advogado da Juruena Participações indicado para falar em nome do grupo não foi localizado pela reportagem.

VEJA MAIS

Alvo da PF em MT responde ação por fraudes em banco e licitações

PF invade construtora de obras da Copa em MT

Operação da PF contra lavagem de dinheiro aprende R$ 5 mi em espécie

Doleiros da Operação Lava Jato exploravam falhas financeiras

PF invade duas empresas por lavagem de R$ 10 bi em Cuiabá

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Olho vivo | Quarta-Feira, 19 de Março de 2014, 06h03
    0
    0

    Nenhuma surpresa em relação a este Eterno suplemente de Deputado, quem ja se esqueceu que ele foi preso na operação Pacenas. Inclusive a obra mal feita que foi entregue e poucos dias depois foi interditada e ainda se encontra interditada que a Ponte do Cophema foi feito por outra construtora deste sujeito a construtora 3 irmãos. Policia Federal ta passando da hora de arrumar um lugarzinho para este sujeito no xilindró.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS