25 de Fevereiro de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 28 de Julho de 2014, 17h:47 | Atualizado:

VALORIZAÇÃO DA CARREIRA

Taques defende redução dos cargos comissionados em MT

taques-servidores.jpg

 

O candidato ao governo pela coligação “Coragem e Atitude pra Mudar”, senador Pedro Taques (PDT), apresentou os compromissos do seu plano de governo, nesta segunda-feira (28.09), aos sindicatos que compõem o Fórum Sindical de Mato Grosso. O pedetista firmou compromisso de valorização do servidor público de carreira e também de estar em constante interlocução com os sindicatos.

Os presidentes, de um modo geral, relataram o sucateamento das instituições em Mato Grosso. Para o presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais Criminais (Sindpeco/MT), Alisson Trindade, o governo perdeu a capacidade de resposta por conta dos cortes de orçamento das instituições. “Em 2011, nosso setor tinha orçamento de R$ 24 milhões, hoje é de R$ 9 milhões. Ou seja, a demanda é crescente, no entanto, o governo reduziu os recursos e nós ficamos sem capacidade de resposta. Os servidores é que são penalizados, pois parece que não conseguem realizar o trabalho, quando na verdade se trata de falta de estrutura”, afirmou.

Participaram da reunião os presidentes do Sindicato dos Profissionais de Tributação, Arrecadação e Fiscalização; Sindicatos dos Servidores do Detran; Sindicato dos Servidores da Saúde e Meio Ambiente; Sindicato dos Peritos Criminais; Sindicato dos Servidores da Sema; Sindicato dos Peritos Criminais; Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola Agrário, Pecuário e Florestal; Sindicato dos Trabalhadores em Pesquisa e Extensão Rural;  Associação dos Engenheiros Agrônomos; e Sindicato dos Papiloscopistas.

Outra reclamação dos servidores públicos de Mato Grosso é a falta de transparência e diálogo do governo com as categorias. A presidente do Sindicato dos Servidores do Detran, Veneranda Acosta, relatou a situação da instituição, afirmando que o Detran está “aparelhado” por um grupo  político há mais de 10 anos. “Hoje a corrupção está institucionalizada. O servidor que trabalha seguindo a lei segue perseguição e assédio moral. Nós apresentamos as demandas da instituição e pedimos o compromisso de sempre ouvir os sindicatos. Hoje somos completamente ignorados pelo governo, por isso a única saída acaba sendo a mobilização para greve”, afirmou a presidente.

Pedro Taques já propôs em seu plano de governo a valorização do servidor público de carreira. A intenção é reduzir os cargos comissionados e utilizar o conhecimento dos servidores efetivos para aprimorar a gestão.

“Os governos passam, mas os servidores ficam. Por isso é importante e inserir e estimular o trabalho do servidor, pois ele é quem vai dar continuidade à gestão. Às vezes, o governador escuta somente os secretários e assessores e não conhece a realidade. Por isso faço o compromisso de, trimestralmente, caso eleito, ouvir o Fórum Sindical”, afirmou o candidato.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS