09 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 09h:20 | Atualizado:

R$ 6,7 MILHÕES

TJ-MT construirá edifício garagem para servidores

tjmt.jpg

 

Três empresas, Ancema Construções Ltda., BK Construções e Incorporações Ltda. e HFC Construtora e Engenharia Ltda., foram habilitadas em uma das fases de licitação para construção de um edifício-garagem pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso, sob administração do desembargador Rui Ramos, em publicação feita no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (7).

A vencedora do certame será responsável por construir um edifício-garagem com tamanho de 5.806,35m², pelo prazo de 180 dias, ao custo de R$ 6,7 milhões.

Após a assinatura do contrato, a empresa terá no total 270 dias para construir o estacionamento que será destinado para os servidores do Poder Judiciário, na rua Desembargador Carlos Avalone, s/n, Centro Político Administrativo, em Cuiabá.

O Tribunal de Justiça justificou a necessidade da construção do edifício-garagem porque, segundo Ofício n. 285/2015-CSC, expedido pela Coordenadoria da Secretaria da Corregedoria, há informações de que terceiros, de outros órgãos públicos próximos, tais como TCE, Palácio Paiaguás, Banco do Brasil, dentre outros, estariam utilizando as poucas vagas disponíveis exclusivamente aos servidores do Judiciário, uma vez que não há controle de identificação de entrada e saída dos estacionamentos “I” e “H”.

De acordo ainda com o Ofício, os servidores, além de esperar muito tempo em fila aguardando por uma vaga, obrigam-se a estacionar seus veículos na rua, sujeitando-se aos seguintes empecilhos:

Envolvimento em acidentes por ocasião das várias voltas à procura de vaga nas imediações;

Risco de multa por ocasião de acabar estacionando em lugar indevido para conseguir vir trabalhar;

Quebra de para-brisas (trincamento) por transeuntes;

Ações de vandalismo como riscos, amassados e demais danificações na pintura e lataria dos carros;

Furtos de objetos no interior do veículo, bem como de pneus usados como steps;

Atrasos nos intervalos de almoço ou da saída, provocados por outros veículos que “trancam” os carros dos servidores estacionamentos na rua;

Exposição à perigo de vida por conta da insegurança a que ficam expostos os servidores no horário da saída, quando precisam caminhar até os seus respectivos veículos visto as ruas serem ermas e sem iluminação;

Com o novo edifício-garagem, o Poder Judiciário espera:

Ampliar o número de vagas do estacionamento dos servidores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Diminuir o tempo de espera em filas de carros na rua Um (Rua do Banco Brasil).

Diminuir o número de veículos de servidores estacionado por longos períodos de tempo nas ruas circunvizinhas ao TJMT.

Permitir mais segurança aos servidores ao entrar no veículos no final do expediente, já no final da tarde, início da noite.

O pagamento da obra, após comprovação do serviço feito, será feito via Funajuris.

 



Postar um novo comentário

Comentários (19)

  • Nefe Nogueira | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 14h31
    2
    2

    Será que está em crise, ou, o pequeno polegar está investindo no "futuro político"?

  • silva | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 13h33
    5
    1

    mais que merda e essa, esse povo acham que estão na China em que outro país rico do mundo, meu Deus todos os dias estão reclamando por falta de recursos, e vem o judiciário querer fazer uma obra faraonica dessa, tem mais e que cortar verba desse povo.

  • CLOVIS | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 13h28
    5
    1

    QUE MARAVILHA, GARAGEM PARA SERVIDORES, ENQUANTO ISSO FALTA VERBAS PRA SAÚDE, SEGURANÇA E EDUCAÇÃO, ESSE É O ESTADO DA TRANSFORMAÇÃO,DINHEIRO TÁ SOBRANDO NESSE CARO E INEFICIENTE.

  • Carlos | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 13h09
    16
    5

    A justiça Brasileira só serve p/ gastar o nosso dinheiro com seus privilégios. Como confiar nessa justiça ?

  • alexandre | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 12h42
    13
    2

    eles não arrecadam pro EStado, arrecadam pra si mesmos, só investimento..

  • MARCELO - PAGADOR DE IMPOSTOS | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 12h39
    16
    4

    DINHEIRO PÚBLICO É FÁCIL ADMINISTRAR, GASTAR TUDO ISSO DE DINHEIRO PARA FAZER ESTACIONAMENTO PARA SERVIDORES. ENQUANTO ISSO PESSOAS MORREM NOS HOSPITAIS.

  • OBSERVADOR | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 12h20
    10
    11

    DINHEIRO DO FUNAJURIS, TEM QUE USAR PRA ISSO, CASO CONTRÁRIO DÁ PEDALADA. FUNAJURIS NÃO É DUODÉCIMO. PARTE DO DINHEIRO ARRECADADO PELO TJ É REPASSADO PARA O ESTADO.

  • Apenas um reles servidor | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 11h50
    10
    5

    Como servidor do TJ, vejo isso com certa preocupação. Apesar de o custo da obra não ser tão elevado (considerado o tamanho), creio estarmos em tempos de priorização da folha salarial, para evitar o decréscimo no já deficitário atendimento ao jurisdicionado.

  • alexandre | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 11h49
    12
    5

    A prioridade é estacionamento ao invés de salários ? Os megas salários quem banca é o besta do executivo, em sacrifício da saúde, educação e segurança.

  • Silvino | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 11h41
    9
    12

    quem tem gestão cuida de seus servidores . quem trabalha para a população não pode mesmo ficar na situação em que estavam ! o tj tem Presidente tem gestor parabéns presidente pela coragem de cumprir sua consideração pelos servidores

  • Armindo de Figueiredo Filho Figueiredo | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 11h28
    13
    5

    ORA BOLAS!!!ORA!!!ORA!!! Isso não passa de um TREMENDO PRIVILÉGIO". Eis o questionamento>>>> Com que dinheiro????Qual a fonte??? Será que são dos "REPASSES"??? .Só pode estar "NADANDO NO DINDIN. .O primo pobre (executivo) , trabalha , para o o primo rico (judiciário) ESBANJAR.. Isso é BRINCADEIRA!!!Não ????? .... Fim de Papo......

  • Décio Frare | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 11h19
    9
    6

    Se o Poder Judiciário não consegue controlar a entrada/saída de seu estacionamento bem como não tem o cadastro de seus servidores, sugiro fechar as portas ante a ausência de capacidade jurídica para aplicar o direito ao caso concreto. Para aqueles que não entenderam, se não consegue administrar um estacionamento, quem dirá julgar as ações que tramitam no Tribunal.

  • Cuiabano | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 11h11
    11
    4

    E a falta de verba que justificou a impossibilidade de instalação de sistema de ar condicionado no fórum de CUIABÁ???

  • Magalhaes | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 10h45
    21
    5

    Eles arrecadam muito para o estado para gastarem com mordomias.

  • Ramis | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 10h39
    22
    5

    E a crise!!!!

  • walter liz | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 10h30
    22
    6

    e pra acabar, querem uma redoma achando que resolvem o problema, não seria mais facil iluminar as vias, proporcionar mais segurança não somente aos servidores mas a todos os que frequentam o local, ou os servidores tem sangue azul e são diferentes de outros cidadãos ? sem falar que é uma choradeira por dinheiro e dai vem gastar.

  • saraiva | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 10h26
    27
    5

    Construção em tempos de crise não parece CONTRADITÓRIO...

  • Matheus | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 09h46
    26
    6

    Queria estar vivo para presenciar o dia em que acabará a farra do judiciário com o dinheiro público.

  • mad | Quinta-Feira, 08 de Fevereiro de 2018, 09h39
    23
    6

    Ae pra querem mais duodécimos.... enquanto o executivo chora pra pagar salários!!!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS