15 de Julho de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 00h:15 | Atualizado:

BATALHA JURÍDICA

TSE analisa nestarecurso do MP para cassar Lucimar em VG

Lucimar Campos é acusada de usar publicidade para promoção pessoal

mascara-lucimar.jpg

 

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, deve incluir ainda neste mês) o julgamento de um recurso proposto pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) contra a absolvição da prefeita de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá, Lucimar Campos (DEM). Ela foi julgada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) por propaganda institucional em período proibitivo, mas acabou escapando da cassação em decisão do órgão em 2018.

O despacho que informou a inclusão do recurso na pauta de julgamento foi publicado na última quinta-feira (28). O ministro Edson Fachin atendeu a solicitação do procurador-geral Eleitoral, Renato Brill de Góes, que advertiu para a necessidade de se julgar o caso o mais rápido possível tendo em vista o término do mandato dos políticos envolvidos na suposta fraude, no fim de 2020.

Além de Lucimar Campos, seu vice, José Hazama (PRTB), também responde à representação que apura supostos gastos ilícitos com publicidade. “Convém ressaltar que a ação em questão tramita na Justiça Eleitoral há quase quatro anos — visto que ajuizada em agosto de 20161 —, trazendo cada vez mais próximo de si o término dos mandatos políticos exercidos pelos candidatos envolvidos. Não bastasse isso, é importante destacar a proeminência do município de Várzea Grande — segundo em população e importância do Estado de Mato Grosso —, e, por conseguinte, as significativas repercussões que eventual condenação traria ao pleito de 2020”, defendeu o Procurador-Geral Eleitoral.

O CASO

A prefeita Lucimar Campos foi denunciada pelo seu principal adversário nas eleições municipais de 2016, o ex-deputado estadual Pery Taborelli (PV), da coligação “Mudança com Segurança”. A coligação acusa Lucimar Campos de veicular durante a campanha eleitoral, na página institucional da prefeitura de Várzea Grande, matérias divulgando obras e serviços realizados pela gestão contendo nomes e fotografias de secretários, fato que, de acordo com o grupo de Pery Taborelli, extrapolou o “elemento informativo”.

A ação informa que a média de gastos da prefeitura de Várzea Grande com publicidade no primeiro semestre dos anos de 2013 a 2015 foi de R$ 206,8 mil. Já no mesmo período, em 2016, esse gasto subiu para R$ 1,2 milhão. Lucimar Campos chegou a ser cassada em decisão do juiz eleitoral Carlos José Rondon Luz no dia 19 de junho de 2017. Porém, exatamente um ano depois, em 19 de junho de 2018, o Pleno do TRE-MT afastou a condenação por 4 x 3.

 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Manoel Coelho | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 11h42
    0
    1

    Será o fim da picada o TSE cassar o mandato da melhor e mais dinâmica Prefeita da história de VG, como é a Lucimar. Tivemos 3 Prefeitos corruptos e incompetentes, que deixaram nossa cidade arrasada.Estamos rezando para Lucimar Campos terminar o seu maravilhoso mandato.

  • Pacufrito | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 09h07
    2
    0

    Parem de teatro e de gastar dinheiro público com advogados , alguém acha que este TSE que esta ai vai cassar a mulher do Jaime Campos??? esquecem e parem de teatro e de gastar tempo e dinheiro público.

  • Eleitor | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 08h55
    2
    0

    Ainda resta esperança que a justiça neste paí exige que o Francisco também cumpra a lei! O TRE de MT só exige o cumprimento da lei para os chicos.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS