07 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Terça-Feira, 07 de Julho de 2020, 08h:10 | Atualizado:

Deputado solicita distribuição de kits de higiene a caminhoneiros

Para garantir a saúde de profissionais do setor de transporte rodoviário de cargas neste período de combate à Covid-19, o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) apresentou a Indicação nº 1204/2020 à Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES) para que sejam disponibilizados kits de proteção e prevenção aos caminhoneiros que trafegam em estradas mato-grossenses. Essa categoria é considerada 'linha de frente" no enfrentamento ao novo coronavírus, por serem responsáveis pelo transporte de diversos produtos para atender a sociedade.

O parlamentar sugere que sejam feitas ações de caráter informativo com os caminhoneiros em postos fiscais ou de cobrança de pedágio e, se possível, a criação de uma rede de apoio aos motoristas para mantê-los seguros do contágio. Além disso, ele propõe que os kits a serem distribuídos contenham álcool em gel e máscaras, como também espaços específicos ao longo das rodovias estaduais, para que os motoristas possam fazer a devida higienização sempre que for necessário.

“São muitos profissionais que estão nesta chamada linha de frente, arriscando sua própria vida para atender a população, a exemplo dos profissionais da área da saúde e segurança pública. Mas é dentro deste contexto que não podemos esquecer dos motoristas de caminhões que trafegam pelas estradas do nosso país. Sabemos que, no âmbito do estado de Mato Grosso, o transporte de diversos produtos vitais à sobrevivência da população é realizado, em sua maioria, pelas estradas e rodovias, através de caminhões”, destaca Claudinei.

Transporte rodoviário - O morador de Rondonópolis (MT) e motorista de caminhão Walter Lopes Gonçalves, que atua há quase 20 anos na área, explica que a pandemia da Covid-19 afetou bastante a categoria. Ele teve o salário reduzido em 30%. “O fluxo abaixou, muitas fábricas reduziram a produção, acaba que ficamos sem cargas para transportar. O motorista parece que é o único do mundo que não tem direito a nada. Nem ao auxílio emergencial (do governo federal). O salário reduziu, mesmo tocando dia e noite, mas a gente não parou”, se indigna. Ele conta que chegou a ficar 11 dias sem trabalhar, por não ter carga para transporte. 

Proteção - Além de trabalhar nas estradas de Mato Grosso, Walter conta que segue rotas em outros seis estados brasileiros. No entanto, em seu próprio estado, não teve a oportunidade de presenciar ações preventivas contra o coronavírus em postos de cidades mato-grossenses. “Viajando de ponta a ponta, não deparei com essa iniciativa aqui. Mas eu vivenciei isso no Rio de Janeiro. Eles me deram um vidro de álcool em gel de 100 gramas, máscara e luvas. Parei no posto de fiscalização de pesagem lá e, ainda, participei de uma palestra com explicações dos cuidados com o vírus”, lembra Walter.

Pandemia - Na última atualização do Boletim Epidemiológico do Governo do Estado de Mato Grosso, no dia 3 de julho, já são 19.540 casos confirmados de Covid-19, com 741 óbitos.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS