19 de Fevereiro de 2020,

Cidades

A | A

Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 19h:18 | Atualizado:

VEJA O VÍDEO

Guia de turismo filma lixo no Rio Cuiabá


Gazeta Digital

lixo.jpg

 

O guia de turismo, Aguinaldo Strong Souza, filmou nesta tarde de terça-feira (21) uma grande quantidade de lixo no Rio Cuiabá, durante um passeio de lancha. Aguinaldo, que trabalhou como pescador profissional por 26 anos, relata que objetos inusitados se acumularam mais ao longo dos anos nas margens do rio.

Conhecedor do Rio Cuiabá, o guia de turismo realiza passeios de lancha para turistas. Nesta tarde, ele estava passando pela captação de água próxima a Várzea Grande, quando se revoltou com o lixo acumulado.

“Descendo para a ponte Sérgio Motta, você vai ver muito lixo. Tem nem como descrever, só vendo”, relata Aguinaldo. Durante todos os anos em que viu o rio de perto, o guia diz que sempre houve lixo, principalmente sacolas plásticas. Mas com o passar dos anos, começou a ver outros tipos de detritos, como garrafas plásticas.

De acordo com ele, objetos inusitados começaram a aparecer, como vários eletrodomésticos no meio dos entulhos. Geladeiras, sofás e televisores são os principais descartados. Ele acredita que a população vai até a margem jogar os objetos.

“Ultimamente nem diminuiu nem aumentou, está num padrão como sempre. Dê uns tempos pra cá, o que eu vejo é sacola. O rio enchia e você via muita sacola. Agora é muita garrafa pet, geladeira, deve ter umas duas geladeiras, capacete”, relembra.

Aguinaldo ainda calcula que, na região da captação do bairro Parque Atalaia, dois treminhões – caminhão com mais de duas carrocerias - ficariam lotadas de lixo. Ele ainda aponta que em frente à Ponte Nova, abaixo do São Gonçalo Beira Rio e Engenho Velho, em Santo Antônio do Leverger (34 km ao Sul), são locais do Rio Cuiabá que estão com grande acúmulo de detritos.

Outro lado

De acordo com a Secretaria de Serviços Urbanos, uma equipe com cerca de 30 servidores realizam na margem do Rio Cuiabá o trabalho de recolhimento do lixo descartado irregularmente. 

Além disso, a Prefeitura tem investido em ações preventivas como a instalação de lixeiras subterrâneas e o trabalho de limpeza contínua na área central.

Por ser uma região de maior movimentação da cidade, a pasta acredita que as medidas são importantes para evitar que o lixo vá para as bocas de lobo e chegue até o rio.

A Balsa Ecológica, empregada para o recolhimento de lixo no Rio Cuiabá, começou a funcionar em junho de 2019. Em setembro o equipamento teve o motor furtado e o serviço foi retomado em novembro. Mais de dez toneladas de resíduos foram retiradas ano passado.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS