05 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 24 de Janeiro de 2018, 11h:44 | Atualizado:

PCI define produtos e indicadores a serem apresentados no Fórum Econômico Mundial

A atualização dos indicadores de desempenho da Estratégia Produzir, Conservar, Incluir (PCI) e o mapeamento das principais iniciativas sustentáveis em curso no Estado de Mato Grosso foram tema de duas reuniões técnicas realizadas em Cuiabá, nesta segunda e terça-feira (23.01). No primeiro encontro do ano, o Comitê da PCI também traçou estratégias para alavancar investimentos privados para o Estado, aproveitando a participação do Governo de Mato Grosso no Implementation Dialogue, evento realizado em parceria com a Tropical Forest Alliance durante o Fórum Econômico Mundial edição América Latina, programado para o mês de março, em São Paulo. 

Os custos estimados para o desenvolvimento dos três eixos da estratégia giram em torno de R$ 3,7 bilhões por ano, totalizando R$ 39 bilhões. O secretário do Gabinete de Assuntos Estratégicos, Jean Campos, observou que a participação do governo em mais um evento internacional deve atrair novos investimentos para o programa, visando promover a transição da paisagem rural de Mato Grosso para um modelo de baixo carbono.

“Existe uma grande expectativa em torno da nossa participação no Fórum, em março. No ano passado, o governador Pedro Taques foi à COP 23 na Alemanha e voltou com um volume considerável de investimentos: cerca de R$ 150 milhões vindos da Alemanha e do Reino Unido. O trabalho continua e estamos demonstrando aos investidores que temos a capacidade de desenvolver e monitorar projetos financiáveis”, afirmou.

Tais investimentos devem ser aplicados no desenvolvimento das seguintes metas: redução de emissões de 6 Gton CO2eq - considerando a redução de emissões de desmatamento e a remoção de carbono via incremento de estoque de carbono; regularização ambiental, atendendo ao Código Florestal em 100% das propriedades rurais do Estado; e inclusão sócioprodutiva de 100 mil agricultores familiares. 

De acordo com o diretor-executivo da Estratégia PCI, Fernando Sampaio, 204 iniciativas implementadas, co-executadas ou financiadas por 381 instituições públicas ou privadas já foram mapeadas no Estado. Ele destaca a importância dos trabalhos do Comitê da PCI para alavancar investimentos privados para fechar a lacuna de financiamento.

“Estamos satisfeitos em trabalhar na articulação de atores relevantes e representativos para a Estratégia, por meio de um sistema de governança participativo, com mecanismos de controle e transparência. Hoje, identificamos a necessidade de unificação das bases de informação do Estado e estamos trabalhando para publicar um relatório dos dados monitorados no ano de 2015 e 2016.  Ao dar transparência à informação demonstrando que o Estado está avançando em seus compromissos, estamos reduzindo o risco para investidores e compradores das commodities exportadas. Em suma, a PCI traz mais comércio e investimentos para Mato Grosso”, concluiu.

Estratégia Produzir, Conservar, Incluir 

Ciente de sua importância num projeto mundial de segurança alimentar, o Estado passou a buscar formas de aumentar a produção aliada à preservação. Desse debate foi formulada a Estratégia PCI - Produzir, Conservar e Incluir, lançada em dezembro de 2015 na Conferência das Partes (COP 21) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, da sigla em inglês). 

O documento foi lançado pelo governador Pedro Taques e pela então secretária de Meio Ambiente, Ana Peterlini. Desde então, o Estado vem buscando parceiros para a execução das metas, por meio de um Comitê composto por 50 entidades entre agentes governamentais, não-governamentais, setor produtivo e sociedade civil.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS