10 de Abril de 2020,

Cidades

A | A

Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 13h:00 | Atualizado:

Saúde alerta que MT terá mais casos se não houvesse isolamento


G1

O secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo disse, em coletiva por videoconferência, nesta quarta-feira (25), que o estado não irá fazer mudanças nas regras de prevenção ao coronavírus enquanto o cenário da saúde em Mato Grosso for o mesmo.

O secretário avalia que o isolamento evitou que esse número fosse maior. "Se nós não tivéssemos feito o isolamento, já estaríamos com um número de casos muito maior que o que nós temos hoje. Quanto menor a circulação de pessoas e maior o isolamento social, menos casos nós teremos no estado. Então, não mudamos a recomendação: fiquem em casa", afirma.

Apesar da recomendação, o secretário afirmou que não cogita adotar uma quarentena obrigatória. "Sabemos que há atividades econômicas essenciais para a população. As pessoas precisam comer, ir a farmácia, precisam de combustível. Então não devem ser adotadas medidas mais rigorosas sem os determinados critérios pra isso", explica.

Sobre o pronunciamento feito pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, na terça-feira (24), que diz que as pessoas devem voltar a normalidade, Gilberto Figueiredo afirma que o estado não vai afrouxar as regras adotadas de isolamento social, por enquanto.

Ele explica que o governo adota medidas de acordo com os eventos que acontecem e que poderá ir flexibilizando as regras de acordo com a situação ou até adotar medidas mais rigorosas caso contaminação se acentue no estado. "Aqui existe lei. Se há lei vigente no estado ou no município, as pessoas e as empresas serão obrigadas a cumprir. Não é um discurso do presidente que muda tudo do dia para a noite. Nós estamos seguindo as premissas estabelecidas pelo Ministério da Saúde e, enquanto elas existirem, vamos continuar seguindo", diz o secretário.

Gilberto orienta a pensar primeiramente na proteção da família. "Isso não é invenção. Cientistas e especialistas estudam esse assunto e sugerem a adoção dessas medidas, como já aconteceu em outros países, então orientamos que elas sejam seguidas", conclui.

Desde a semana passada, quando o primeiro caso de coronavírus foi confirmado no estado, e a primeira morte no Brasil foi registrada em São Paulo, o governo de Mato Grosso vem adotando medidas preventivas a contaminação da doença. Entre elas, estão a restrição de público em mercados, bares e restaurantes, a proibição de aglomerações de pessoas em eventos e suspensão do transporte coletivo intermunicipal.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS