17 de Fevereiro de 2020,

Cidades

A | A

Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2020, 13h:50 | Atualizado:

Servidores do TJ tornam ambiente de trabalho mais sustentável

As ações de sustentabilidade do Poder Judiciário não ficaram apenas no papel e já começam a dar frutos por meio de pequenas atitudes do dia a dia. Com o aumento da informação sobre o assunto, várias pessoas já entendem que a geração de lixo e o uso descontrolado de recursos naturais são grandes causadores de danos ambientais. Tudo isso, incentivado pelo Núcleo de Inovações ligado a Coordenadoria de Planejamento do Judiciário mato-grossense.

As mudanças significativas ganham muito mais força quando têm o engajamento de vários indivíduos. O desperdício de água, energia elétrica, alimentos, papel e embalagens não precisa ser normal. Essa atitude só reforça a cultura do consumo e do descarte, estimulando o uso desenfreado de recursos naturais.

No Tribunal de Justiça dois bons exemplos, podem ser seguidos, como é o caso de atitudes simples, como da equipe da Ouvidoria que adotou apenas dois cestos de lixo (um orgânico e outro reciclável) para todo o departamento. Antes cada servidor possuía um cestinho debaixo da mesa e a produção de lixo era bem maior, agora com apenas dois a consciência de descartar algo é bem maior.

Também na Escola dos Servidores o exemplo também passou a fazer parte do cotidiano. O servidor Ênio Póvoas conta que, durante todas as capacitações, os usuários do espaço são alertados a levar uma garrafinha de água e a usar as próprias xicaras de café. “Nosso plano esse ano é não ter gastos com copos descartáveis. O Poder Judiciário têm e deve ser exemplo com o bom uso dos recursos públicos. Nós, servidores, também temos esse papel importante de cumprir nossas metas e objetivos. Um deles é minimizar nosso consumo e tornar o ambiente mais sustentável”, ponderou.

O Núcleo Socioambiental também é um dos parceiros no incentivo a práticas sustentáveis para reduzir gastos, evitar desperdício e contribuir com o meio ambiente. O setor tem como premissa estimular a reflexão e mudanças dos padrões de consumo de magistrados e servidores e contabiliza outras práticas que também integram a lista de ações voltada à responsabilidade social do Poder Judiciário de Mato Grosso. Dentre elas, estão o Plano de Logística Sustentável, ferramenta de planejamento que permite ao órgão ou entidade estabelecer práticas de sustentabilidade e racionalização dos gastos e processos na Administração Pública.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS