12 de Agosto de 2020,

Artigos

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 05h:24 | Atualizado:

Sinop alerta que omissão no Bolsa Família pode gerar processo

A omissão de informações ou falsificação de dados para a obtenção dos benefícios do Bolsa Família, programa do Governo Federal, podem acarretar em processos administrativos com ressarcimento do valor obtido de forma irregular. O alerta é da Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Habitação, para que as famílias beneficiadas apresentem os dados corretos e reais quando realizarem o cadastro no programa.

“É importante que essas famílias quando forem atualizar o cadastro ou solicitar o benefício que não façam omissão da renda, porque o Tribunal de Contas da União tem informado o Ministério do Desenvolvimento Social de possíveis casos onde são detectadas essas irregularidades”. É o que explica Neuza Bertelli, gestora do programa Bolsa Família.

A identificação de possível recebimento indevido do benefício é feita pelo Tribunal de Contas da União e, em seguida, é aberto um procedimento administrativo de fiscalização, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social, para apurar a situação. O beneficiário tem um prazo de 30 dias, após o recebimento da notificação, para apresentar defesa.

Nos casos em que é confirmado o recebimento indevido do benefício já é emitido um boleto com o valor que deve ser ressarcido ao Governo Federal.

Condicionalidades do Bolsa Família

Na área de educação

— Os responsáveis devem matricular as crianças e os adolescentes de 6 a 17 anos na escola;

A frequência escolar deve ser de, pelo menos, 85% das aulas para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos e de 75% para jovens de 16 e 17 anos, todo mês. 

— Para as situações em que as crianças ou os adolescentes tenham que faltar às aulas, é importante que a família informe o motivo na escola, que o marcará  no sistema  onde se registra o acompanhamento da frequência escolar, o Sistema Presença/MEC. Para isso, são disponibilizados  88 motivos no Sistema.

Na área de saúde

— Os responsáveis devem levar as crianças menores de 7 anos para tomar as vacinas recomendadas pelas equipes de saúde e para pesar, medir e fazer o acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento;

As gestantes devem fazer o pré-natal e ir às consultas na Unidade de Saúde.

Por que o acompanhamento desses compromissos é importante?

Os três níveis de governo (federal, estadual e municipal) trabalham em conjunto para acompanhar os compromissos do Bolsa Família. Essa operação envolve o registro, em sistemas específicos, de informações sobre a frequência escolar e sobre a agenda da saúde de milhões de pessoas beneficiárias. O monitoramento é individualizado. Todo esse esforço se justifica para:

— Garantir que o poder público ofereça, efetivamente, os serviços de educação e de saúde à população em situação de pobreza e extrema pobreza;

— Identificar quadros de vulnerabilidades entre as famílias que estão com dificuldades para acessar esses serviços públicos;

— Encaminhar famílias para a rede de assistência social, a fim de que elas possam superar a vulnerabilidade e voltar a cumprir seus compromissos; e 

— Contribuir para o desenvolvimento saudável das crianças e para que os estudantes de famílias do Bolsa Família concluam a educação básica, tendo melhores condições de vencer o ciclo de pobreza.

O que acontece com as famílias que descumprem os compromissos do Bolsa Família?

O Programa Bolsa Família aplica efeitos gradativos, começando com uma advertência, que não afeta o recebimento do benefício. Quando o descumprimento se repete em um período de até seis meses, há o bloqueio, que impede que as famílias recebam o benefício por um mês, embora esse valor possa ser sacado depois. Se, após o bloqueio, houver novo descumprimento em até seis meses, o benefício fica suspenso por dois meses, sem possibilidade de a família reaver essas parcelas. O efeito mais grave é o cancelamento do benefício, mas isso é uma exceção, pois o descumprimento dos compromissos do programa de forma reiterada pode ser um sinal de que a família está em maior vulnerabilidade. Assim, famílias nessa situação só podem ser desligadas do Bolsa Família depois de passarem por acompanhamento pela área de assistência social no município. O processo segue regras específicas da gestão de condicionalidades. 

 

  



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS