12 de Agosto de 2020,

Artigos

Cidades

A | A

Terça-Feira, 20 de Maio de 2014, 21h:26 | Atualizado:

Sociedade deve combater violência sexual

Integrantes da rede de proteção às crianças e adolescentes participaram na tarde desta segunda-feira (19 de maio) no Fórum de Cuiabá do Dia Nacional de luta contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes e do lançamento da Campanha “Faça Bonito. Proteja nossas Crianças e Adolescentes”. O objetivo foi chamar a atenção da sociedade para o enfrentamento à violência sexual.

“Devemos ampliar as políticas públicas e desenvolver trabalhos de conscientização junto à população. Queremos evitar o turismo sexual e diversas outras situações de risco. Para que tenhamos bons resultados devemos unir todos os parceiros que atuam nesta área e esse é outro objetivo de nosso encontro aqui”, disse o juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça e responsável pela Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ) José Antônio Bezerra Filho.

As ações envolvem o trabalho já desenvolvido por cada um dos componentes da rede de proteção. O gerente de prevenção e municipalização da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Néio Lucio Lima, explicou que vários serviços estão disponíveis à população. “Temos nosso 0800 647 1222. Por intermédio dele a comunidade pode pedir palestras de esclarecimento sobre drogas, informações e até encaminhamentos para tratamentos de saúde. A Secretaria tem estimulado a criação dos Conselhos Municipais de Políticas Sobre Drogas, que atuam diretamente no combate em cada município”, informou o gerente que ainda reforçou a necessidade de se identificar e organizar o trabalho em grupo.

As representantes do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (Creas) do Bairro Morada do Ouro salientaram a importância dos dados estatísticos. “Desenvolvemos trabalhos de campo e assistência social. Os dados são relatados mensalmente. Nos últimos meses notamos aumento da violência sexual praticada contra crianças e jovens. Essas informações podem nos ajudar a definir melhor as ações da rede de apoio”, destacou a coordenadora da unidade, Rosana Greice de Aguiar.

A coordenadora do Curso de Serviço Social da Universidade Federal de Mato Grosso, professora Terezina Paes de Arruda, explicou o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. “O plano está consolidado. Ele foi criado no ano de 2000 e em 2010 foi revisado, mas nunca para de evoluir. Continuamos mobilizando, articulando e diagnosticando os problemas enfrentados. Somente assim conseguiremos combater a exploração sexual e a violência cometidas contra nossas crianças e adolescentes. O povo quer a Copa do Mundo, ela é importante, mas deve ser realizada com segurança”, pontuou a professora.

“Foi uma boa oportunidade de debatermos. Só conseguiremos melhorar com o apoio de todos. Precisaremos de mais encontros para sensibilizar gestores municipais e estaduais. Eles precisam observar que fortalecer a política de atendimento básica nos Cras e Creas diminuiria muito o índice de violência” concluiu o gerente do Sistema Nacional de Acompanhamento de Medidas Socioeducativas (Sipia/Sinase), Antônio Carlos da Silva.

As ações dos parceiros envolvem panfletagens, afixação de cartazes, palestras, além de abordagens de conscientização em locais públicos, como o aeroporto e as rodoviárias. Elas serão enfatizadas no mês de maio e durante a Copa do Mundo. Durante o evento de hoje, kits com material sobre doenças sexualmente transmissíveis, exploração sexual e prevenção às drogas foram entregues.



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS