09 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 30 de Abril de 2014, 09h:23 | Atualizado:

CAOS TOTAL

Unidades de saúde de MT ficam sem segurança

vigilantes-greve.jpg

 

Vigilantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES) entraram em greve por tempo indeterminado após estarem há 4 meses sem receber os salários. Os 200 trabalhadores são contratados pela Cooperativa dos Vigilantes do Estado de Mato Grosso (Coovmat) e prestam serviços nas unidades de saúde em diversos municípios.

Os grevistas realizaram um protesto na sede da SES na manhã de ontem para reivindicar uma atitude da Secretaria, para que a empresa pague os atrasados.Representante dos grevistas, Creuza Márcia de Oliveira Viana reclama do descaso da empresa com os trabalhadores.

Ela afirma que existem vigilantes que já foram despejados de suas casas por não pagarem o aluguel e nem mesmo os vale-transporte estão em dia, o que impossibilita o trabalho. “Em dezembro alguns colegas ainda receberam, mas depois disso estamos todos sem pagamento. Recebemos informações que o repasse foi feito, mas a empresa não teria pago os trabalhadores por causa de um problema financeiro. Mas nós trabalhamos e temos contas para pagar. Não podemos esperar mais”.

Secretário-geral do Sindicato dos Vigilantes de Mato Grosso, Adelmo Alves Roriz Júnior explica que essa não é a primeira vez que a Cooperativa atrasa os salários. “Em 2012 e 2013 tivemos problemas semelhantes que conseguimos resolver com ações na Justiça. Tentamos negociar com a empresa, mas ela não cumpriu os prazos e por isso os vigilantes decidiram parar a partir desta terça-feira”.

OUTRO LADO

A assessoria de imprensa da SES informou que os repasses estão em dia e que o atraso nos salários é de responsabilidade da empresa. A Secretaria irá notificar a empresa para que o serviço seja restabelecido, pois a greve está prejudicando as unidades de saúde.



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS