15 de Novembro de 2019,

Cultura

A | A

Segunda-Feira, 14 de Outubro de 2019, 18h:03 | Atualizado:

Espetáculo infantil é exibido para público de agendamento escolar

O foyer do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros ficou tomado de pequeninos sentados no chão, ansiosos, tagarelando (daqueles barulhos que se gosta de ouvir), brincando de adoleta, esperando para assistir ao espetáculo “Fiu-Fiu – um encontro entre pássaros”, com o grupo Tibanaré.

A sessão de agendamento escolar comemorativa ao Dia das Crianças, na última sexta-feira (11), acolheu mais de 400 alunos de três unidades de ensino público de Cuiabá, uma ação fruto da parceria entre o grupo cênico e a Assembleia Social (antiga Sala da Mulher).

A rodinha de meninos de seis anos de idade, da Escola Municipal de Educação Básica Jescelino José Reiners, estava projetando como seria a programação do dia. Enzo Gabriel Vieira sabia que veria uma peça de teatro, mas estava esperando um passeio. Questionado se não seria esse um passeio, refletiu e concordou. Matheus Henrique Salomé, David Kevin Campos e Tailon José perguntaram se teria cachorro quente, picolé e pastel.

Não, meninos... A programação é para alimentar a alma. É uma tarde de cultura, de sensibilidade, para despertar emoções. E que emoções! Sem uma palavra sequer (mas alguns pius), os dois pássaros de Fiu-Fiu comunicaram com a plateia infantil sobre diversidade – representada pelas diferentes espécies - e afeto. “Esse espetáculo é muito especial para nós, porque fala de amor, de respeito às diferenças”, sintetiza Jefferson Jarcem, ator e diretor do grupo Tibanaré.

Os pequeninos, nas poltronas do Zulmira Canavarros, se dedicavam para ver o palco de tal forma que não conseguiam se manter sentados. E que pesar uníssono quando o balão de coração (com gás hélio) voou! Interagindo, uma vozinha distante asseverou: “ele [pássaro personificado pelo ator Jefferson Jarcem] vai ter que voar para pegar”.

Na interação com o espetáculo, o público, com idades entre três e nove anos, teve medo de escuro, gargalhou, aplaudiu chuva de papel, fez coro de “beija, beija” para os bicudos no palco.

Ian Vinícius, de quatro anos, aluninho da Creche Municipal Rafael Rueda, resumiu sua percepção em “gostei bastante”. Lorrayne Meury, da mesma unidade escolar e com a mesma idade, elogiou “o patinho”, como identificou uma das aves da peça teatral.

“Eles adoraram, é importante essa interação com as crianças! É oportunidade de socialização delas com o mundo aqui fora, além, é claro, de se entrosarem com a Cultura”, avalia Kátia Maria, uma das professoras da creche.

“É sempre uma alegria receber alunos aqui em nosso teatro! Abrimos a porta para os pequenos, abrimos o palco para os grupos culturais e contribuímos para a formação de plateia. Nós acreditamos na Educação e na Cultura como formação legítima de cidadãos conscientes, nosso futuro. Que outras escolas tragam seus alunos, estamos sempre disponíveis!”, explicou a diretora da Assembleia Social – braço social da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) – e do Teatro Zulmira.

A ALMT, além de possibilitar espetáculo sem custo para os coletivos artísticos e para os estudantes, ainda (nesta ação), disponibilizou dois ônibus para buscar e levar os 90 alunos da creche Rafael Rueda.

Ainda compuseram o público 78 estudantes da Escola Estadual Leônidas Antero de Matos e 275, da escola Jescelino Reiners.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS