16 de Junho de 2019,

Economia

A | A

Quinta-Feira, 10 de Janeiro de 2019, 23h:40 | Atualizado:

GOELA ABAIXO

Ampa reclama que produtores são obrigados a bancar ineficiência de MT

Governador teria simplesmente ignorado o pedido do setor para discutir o assunto


Da Redação

ALEXANDRE-AMPA.jpg

 

Os produtores de algodão de Mato Grosso, por meio de sua associação (AMPA), acusaram o governador Mauro Mendes (DEM) de querer empurrar "goela abaixo", sem discussão alguma, o projeto de lei que altera o Fundo de Transporte e Habitação (Fethab). A matéria foi entregue nesta quinta-feira (10) para apreciação e votação dos deputados na Assembleia Legislativa.

Em nota, a Ampa se queixa que o Executivo realizou uma única reunião para apresentar o projeto e não aceitou ou deu qualquer chance ao diálogo, pois sequer foi estabelecido um prazo para análise da proposta. Segundo a entidade,  o governador empurrou a discussão” para o Legislativo ignorando as necessidades do setor.

Segundo o texto, Mauro Mendes pretende aumentar o índice cobrado da Unidade Padrão Fiscal (UPF) para 200% da mesma a incidir sobre a tonelada de algodão transportado. Isso, alegam, “ameaça a viabilidade da cadeia do algodão em Mato Grosso” e não servirá para aumentar a receita do Estado; ao contrário, obrigará somente a uma queda na produção devido a um virtual abandono do plantio.

Além disso, a AMPA afirma que o agronegócio já arca com mais de 50% de toda a arrecadação obtida pelo Estado via Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Infelizmente o novo governo quer aumentar o peso da mão do Estado sobre aquele que produz algodão, para suprir a ineficiência da administração pública”, diz, textualmente, a nota assinada pelo presidente da entidade, Alexandre Schenkel.

Por fim, o texto divulgado no fim da tarde informa que os produtores irão até os parlamentares “para apresentar e mostrar a realidade dos números do setor produtivo, situação que o Governo do Estado não quis em momento algum dialogar”. Nos bastidores, se comenta que os produtores podem acionar a Justiça contra a cobrança.

 

NOTA PÚBLICA

“Sobre o projeto de lei que altera o Fundo de Transporte e Habitação (Fethab), entregue pelo governador Mauro Mendes (DEM) na Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (10), a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) esclarece que:

- O governador Mauro Mendes se recusou a discutir sobre a proposta de alteração do Fethab com o setor produtivo.

- A única reunião promovida com o Fórum Agro MT, nesta semana, teve o objetivo apenas de comunicar o envio dos projetos à Assembleia Legislativa, sem nenhuma possibilidade de abertura de diálogo.

- Na ocasião, os componentes do Fórum Agro MT pediram um prazo para analisar a proposta, o que foi ignorado pelo governador, que já protocolou o documento, empurrando a discussão para a Assembleia Legislativa, sem ao menos ouvir o setor.

- A Ampa vai procurar todos os deputados estaduais para apresentar e mostrar a realidade dos números do setor produtivo, situação que o Governo do Estado não quis em momento algum dialogar. A proposta do Governo do Estado de aumentar de 10,23% da UPF para 200% do valor da UPF sobre a tonelada do algodão transportado, ameaça a viabilidade da cadeia do algodão em Mato Grosso. - Ao invés de aumentar receita para o Estado, a proposta do Governo do Estado pode representar efeito contrário, uma vez que existe grande possibilidade de queda na produção, devido a atividade passar a não ser mais atrativa.

- O setor produtivo já paga impostos e representa mais de 50% do ICMS arrecadado no Estado.

- Infelizmente o Novo Governo quer aumentar o peso da mão do Estado sobre aquele que produz algodão, para suprir a ineficiência da administração pública.

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • RODRIGO MACHADO | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 14h15
    0
    0

    ARROGÂNCIA SE COMBATE COMO?? COM TRUCULÊNCIA, ESSE POVO DA AMPA ACHA QUE MANDA NO MT , QUE FAZ OQUE QUEREM NO ESTADO MUDO AS COISA PARABÉNS MAURO NOS QUE PLANTAMOS SOJA ACEITAMOS NUMA BOA ESSA NOVA COBRANÇA.

  • Justo | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h44
    5
    1

    Pobres vocês não vão ficar e nem passar fome, essa fatura da crise, todos tem que pagar.

  • osmar | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 11h28
    3
    1

    vcs só falam e simples paramos de plantar, não somos abrigados a pagar a conta da ineficiência dos gestores do estado, fazer uma greve também, em primeiro lugar deveriam e cortar gastos no setor publico e muita mordomia

  • woodnew | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h20
    6
    0

    Taxar os criadores de gado de suinos de caprinos de ovinos os desmatadores, etc.,etc. etc...

  • Contribuinte | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 10h16
    10
    1

    Se MM for esperar que todos concordem as reformas não vão sair nunca! Todos terão que contribuir!

  • Ana | Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 08h51
    5
    3

    TOOOOOOOOOOOOOOMAAAAAAAAAAAA BANDO DE OTÁRIOS KKKKKKKKKKKKKK

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS