20 de Novembro de 2019,

Economia

A | A

Domingo, 16 de Fevereiro de 2014, 09h:21 | Atualizado:

TIGRE PANTANEIRO

Mato Grosso já colheu 9,8 milhões de toneladas de milho na safra 2013/2014

Até sexta-feira, 14, Mato Grosso colheu 36,4% da área total de soja, o que representa três milhões de hectares de lavouras. O clima favorável proporcionou uma grande evolução na retirada de grãos ultrapassando, por mais uma semana consecutiva, os números da safra passada no mesmo período. 

Os produtores do estado já disponibilizam para o mercado 9,8 milhões de toneladas de soja referentes à safra 2013/2014. O resultado é puxado pela produtividade média de 54,2 sacas por hectare que vem se mantendo durante a colheita, e que fez o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) elevar a expectativa de produção por hectare para esta safra de 51 sc/ha, no início do plantio, para 54 sc/ha. 

 

Segundo dados do Imea, nesta semana os produtores passaram as máquinas, diariamente, por 173,3 mil hectares de lavouras, injetando mais de meio milhão (0,57) de toneladas de soja no mercado por dia. A evolução semanal de colheita foi de 14,6 pontos percentuais, número mais uma vez, maior que mesmo período da safra passada. 

As regiões Norte e Oeste do estado continuam sendo aquelas com a colheita mais adiantada com 41,39% e 40,90% das áreas, respectivamente. Também são as regiões onde o milho segunda safra tem uma semeadura mais avançada com 50% e 51%. 

Além do clima favorável, o grande volume colhido e a retirada mais adiantada dos grãos também são debitarias dos investimentos em tecnologia. “O produtor está cada vez mais se aperfeiçoando, seja na gestão, seja nos maquinários, e aumentando consequentemente a eficiência dentro das propriedades”, pontua o diretor técnico da Aprosoja, Nery Ribas. 

 

Lucratividade

 

Desde janeiro, os cinco supervisores de campo da Aprosoja estão visitando as propriedades rurais que fazem parte do Projeto Referência, para auxiliar os produtores no cadastro das informações da safra. Após a compilação destes dados, será elaborado o relatório de “resultado de lucratividade da soja” que apresenta a viabilidade econômica da cultura. 

Cerca de 100 propriedades, nas quatro regiões do estado, fazem parte deste Projeto. Desde 2010, os participantes passaram a contar com um software que permite o acompanhamento dos indicadores de forma eletrônica. A ferramenta possibilita novas oportunidades de negócios e gestão que podem facilitar o dia a dia do produtor rural. 

De acordo com o gerente de Planejamento da Aprosoja, Cid Sanches, durante as visitas, os técnicos da entidade ajudam o produtor na hora de cadastrar os dados de insumos, variedades de cultivares, adubação, defensivos, entre outros. “Depois de cadastradas essas informações no sistema, é possível comparar as médias de rentabilidade por região e a média do estado”, destacou. 

Os dados do relatório serão divulgados até o final do mês de março, e o produtor que faz parte do programa receberá por meio do próprio software, todas as informações do levantamento. Em seguida, os dados são apresentados por meio de reuniões regionais, promovidas pela entidade. 

Acompanhando os produtores desde as safras 2007/2008, o Projeto Referência é realizado pela Aprosoja para capacitar o produtor rural no que se refere à gestão de propriedades rurais, auxiliando, especialmente, no gerenciamento dos custos de produção, e fornecendo ferramentas e consultoria. O foco é o aperfeiçoamento contínuo com base nas próprias experiências, incorporação de novas técnicas de produção, buscando uma melhor comercialização da produção e visualização de tendências antecipando ações. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS