13 de Dezembro de 2019,

Economia

A | A

Sexta-Feira, 14 de Março de 2014, 11h:46 | Atualizado:

MINHA CASA, MINHA VIDA

União acumula dívidas de R$ 30 milhões com empreiteiras de MT

casas.JPG

 

Construtoras mato-grossenses cobram aproximadamente R$ 30 milhões referentes às obras residenciais do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) no Estado. Cerca de 20 empresas denunciam o atraso no pagamento pelo governo federal, que pode comprometer o andamento dos trabalhos e ameaça a manutenção dos empregos.

O saldo se acumula desde o dia 14 de fevereiro de 2014, segundo informações do Sindicato das Indústrias da Construção de Mato Grosso (Sin-duscon/MT), que realizou uma reunião nesta quinta-feira (13) para tratar do assunto.Conforme o Sinduscon/MT, o problema afeta diretamente imóveis em construção que vão ser entregues a famílias da faixa 1 do programa, com renda mensal até R$ 1,6 mil, ou seja, casas de interesse social por atender moradores de baixa renda. “Para exemplificar a situação vivida pelas empresas, o tempo médio para o pagamento das medições (obras) executadas era de 48 horas em novembro de 2013 e passou para 21 dias em fevereiro de 2014, sem que tivéssemos nenhuma justificativa para esse atraso”, informa o presidente do Sinduscon/MT, Cezário Siqueira, que recebeu reclamações dos associados.

Siqueira afirma ainda que o problema é tão sério que poderá comprometer a saúde financeira das construtoras, assim como o andamento das obras e o pagamento dos salários dos trabalhadores. Segundo ele, os salários dos trabalhadores dessas empresas estão em dia, mas podem atrasar por conta desta situação. “Não houve registro de salários atrasados por causa desses repasses, contudo os prejuízos podem ser grandes. Calculamos que são cerca de 7 mil unidades habitacionais e perto 8 mil trabalhadores, com vínculo de emprego direto, fora os indiretos. Estamos trazendo o problema ao conhecimento da sociedade e tomando as providências necessárias, via Câmara Brasileira da Indústria da Cons-trução (CBIC)”.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS