10 de Dezembro de 2019,

Entrelinhas

A | A

Domingo, 17 de Novembro de 2019, 21h:01 | Atualizado:

CONTAS DE 2018

AL pode deixar Taques inelegível

janaina-taques.jpg

 

Avizinha-se mais um embate institucional entre Tribunal de Contas do Estado e Assembleia Legislativa. Em dezembro, o parlamento vai julgar as contas da gestão do ex-governador Pedro Taques e o resultado pode ser bem diferente do entendimento do TCE, que foi pela aprovação.

A relatora Janaina Riva (MDB) adianta que baseará seu parecer em critérios técnicos rígidos, os mesmos que resultaram na reprovação das contas de várias prefeituras. Opositora de Taques na gestão

passada, Janaina promete não ‘pegar leve’ em seu relatório.

A tese defendida por Janaina é de que não pode existir dois pesos e duas medidas quanto o TCE julga contas de gestões de prefeituras menores e quando aprecia os balanços de governos. O próprio relatório técnico elaborado pelo TCE apontou falhas graves ou gravíssimas nas contas do tucano, mas não foram suficientes para representar a reprovação.

Caso a Assembleia Legislativa reprove as contas, Taques pode ficar inelegível. A votação, por essa razão, será um teste sobre o poder político do ex-governador e de seu partido

Este promete ser um dos momentos mais polêmicos do parlamento em 2019.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Davi | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 09h57
    0
    0

    Mato Grosso e sua sina por assembleias legislativas covardes. O único que garantia a altivez do parlamento era o Riva. Depois dele só cachorrinhos a presidiram.

  • juliano martins | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 10h00
    3
    1

    - É bem provavel que antes do julgamento das contas ele seja preso, junto com o "primo" grampete....

  • José | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 09h54
    4
    0

    Se a assembleia legislativa aprovar as contas do ex governador Pedro Taques é porque teve mensalinho

  • Rafael | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 08h35
    5
    0

    Duvido que esses deputados caititus tenham coragem de reprovar as contas do Taques.

  • José | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 07h00
    3
    0

    O governador pagou libertou os prefeitos que não pagarem estão ferrados dizem as mas línguas propinas chegam a 400 mil para aliviar as prefeituras se paga os benesses da lei se não paga os rigores da lei?

  • Eliete | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 06h45
    4
    2

    QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

  • Jandira | Domingo, 17 de Novembro de 2019, 22h29
    7
    0

    Vamos ver pra que veio esses 14 novos deputados. Se aprovarem essas contas é melhor fechar aquela Assembleia, pois o TCE ja era prata fechado faz horas.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS