Esporte Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019, 13h:10 | Atualizado:

Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019, 13h:10 | Atualizado:

Notícia

Botafogo quer anular jogo com Palmeiras

 

Terra

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

O Botafogo avisou na noite do último domingo que irá pedir a anulação do jogo contra o Palmeiras pela sexta rodada do Brasileirão. Jogando em Brasília, o time carioca perdeu por 1 a 0 em gol de pênalti de Gustavo Gómez. A infração foi marcada com o auxílio do VAR.

Em um tuíte publicado pela conta oficial do clube, o Botafogo diz que "o VAR foi usado indevidamente, pois a partida havia sido reiniciada".

O Botafogo pedirá a anulação do jogo com o Palmeiras. O VAR foi usado indevidamente, pois a partida havia sido reiniciada. Logo, não poderia ser alterada a decisão do árbitro (regra 5 da FIFA e protocolo 8.12 do VAR). A decisão tomada foi um erro de direito, não um erro de fato.

O clube diz que ao revisar um lance após o jogo ter recomeçado, o árbitro violou a regra 5 e o protocolo 8.12 da regra do VAR.

Analisando a regra do VAR é possível perceber que a reclamação do Botafogo é válida. O texto diz o seguinte:

"Revisões após reinício da partida - Se o jogo parou e depois recomeçou, o árbitro só pode revisar e tomar medidas disciplinares em caso de identificação errada de cartão e potencial expulsão por ofensa relacionada a conduta violenta, cuspe, mordida ou gesto extremamente ofensivo".

Mas embora o juiz não pudesse ter revisto o pênalti, a regra não diz que isso é o bastante para invalidar uma partida.

Segundo a FIFA, uma partida NÃO pode ser invalidada por:

Mal funcionamento da tecnologia do VAR (como no caso da câmera que lê se a bola passou ou não da linha de gol);

Decisões erradas tomadas com a ajuda do VAR;

Decisão de não revisar um incidente de jogo;

Revisão de situação/decisão que não deveria ser revisável

O caso do jogo entre Botafogo e Palmeiras entraria no último caso: "Revisão de situação/decisão que não deveria ser revisável."

O árbitro errou ao revisar um lance que não era mais passível de revisão, mas, de acordo com a International Board, isso não é suficiente para fazer um jogo ser anulado. A decisão, no entanto, deverá ser tomada por um tribunal de justiça desportiva se o caso avançar nas esferas responsáveis.

 





Postar um novo comentário





Comentários

Comente esta notícia






Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet