16 de Novembro de 2019,

Mundo

A | A

Domingo, 23 de Fevereiro de 2014, 08h:12 | Atualizado:

Enquanto aguarda mandado, Jefferson ignora prisão e cutuca 'viúvas de Lula'

Embora esteja na iminência de ser preso, o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), o delator do mensalão, ignorou o tema nas redes sociais e preferiu fazer comentários sobre o panorama político para as eleições de 2014.

Enquanto aguarda, em sua casa no município fluminense de Comendador Levy Gasparian (160 km do Rio de Janeiro), a chegada do mandado de prisão, Jefferson usou o seu blog e o Twitter para cutucar petistas e peemedebistas. A expectativa é que o mandado só seja expedido na segunda-feira (24). Policiais federais, no entanto, permanecem de campana na porta da casa de Jefferson.

O ex-deputado usou de gancho a queda na aprovação do governo Dilma Rousseff, como mostra pesquisa Ibope/Estadão divulgada ontem, para dizer que cresce dentro do PT e do PMDB o desejo de que Luiz Inácio Lula da Silva encabece a chapa para a sucessão presidencial.

"É mais lenha na fogueira que arde literalmente em praça pública para 'queimar' a reeleição da presidente. De grão em grão, as viúvas do Lula vão enchendo o papo. Será que o mau humor do PMDB com Dilma se restringe a cargos ou o partido foi cooptado pela 'entourage' lulista?", escreveu.

Em seguida, Jefferson especulou o cenário da disputa presidencial caso Lula seja o escolhido da coalização governista. "Se Lula for cabeça de chapa em 2014, certamente virá mais à esquerda do campo político, que não é a praia peemedebista. Ou seria esse um mero detalhe?", provocou.

A postagem foi publicada hoje, às 11h09. Pouco antes, às 10h48, o petebista comentou sobre as conversas entre Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB), ambos pré-candidatos à sucessão presidencial. 

"Ao se encontrarem mais uma vez em tão curto espaço de tempo, Aécio Neves e Eduardo Campos discutem os palanques eleitorais nos Estados e aparam arestas sobre prováveis escaramuças futuras, mas, sobretudo, mostram aos interessados que as oposições marcharão unidas em 2014, seja contra Dilma, seja contra Lula", afirmou.

Também hoje no Twitter, Jefferson disse que, por meio de sua assessoria, não vai parar de alimentar as redes sociais e seu blog.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS