22 de Julho de 2019,

Mundo

A | A

Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 15h:08 | Atualizado:

VAZA JATO

Hacker se passou por Moro no Telegram

telegram.jpg

 

O hacker que invadiu o aparelho celular do ex-juiz e ministro da Justiça Sergio Moro se passou por ele no aplicativo Telegram e conversou com seus contatos, de acordo com provas obtidas pela Polícia Federal (PF) no inquérito que apura a onda de invasões contra Moro e autoridades ligadas direta e indiretamente à Operação Lava-Jato.

O caso ocorreu no dia 4 de junho, quando Moro tornou pública a informação de que tinha sido alvo de um ataque hacker. Às 21h17 daquele dia, um funcionário de Moro no Ministério da Justiça recebeu uma mensagem do telefone do ministro com o link de uma reportagem publicada no site do ministério. "Boa noite. O que achou dessa matéria?", perguntou o hacker ao funcionário, que respondeu: "Vou ler".

O hacker também conversou brevemente com um jornalista da "Gazeta do Povo", que abordou a falsa conta do ministro ao receber uma notificação de que Moro havia instalado o Telegram em seu aparelho.

O ministro já afirmou que deixou de usar o Telegram em 2017, tendo apagado sua conta naquela ocasião. Por isso, afirma sua assessoria, não havia dados possíveis de serem copiados pelo hacker durante a invasão.

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar as invasões e tentar rastrear o hacker responsável pela iniciativa. A apuração ainda está em andamento.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS