14 de Agosto de 2020,

Mundo

A | A

Sábado, 03 de Fevereiro de 2018, 11h:35 | Atualizado:

FALTA DE PREPARO

PM atira em grupo de motoqueiros e mata filho de colega

natal (1).jpg

 

Um policial militar do Rio Grande do Norte matou o filho de um colega de farda na noite desta sexta-feira (2) no bairro Dix-Sept Rosado, na Zona Oeste de Natal. Lucas Soares Costa, de 18 anos, estava com a namorada e um grupo de aproximadamente 40 motoqueiros, dando voltas pela cidade, quando foi atingido. Segundo a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o policial relatou em depoimento ter visto pessoas armadas em meio ao grupo quando as motocicletas passavam pelo cruzamento das avenidas Coronel Estevam e Bernardo Vieira, e que a viatura em que ele estava teria sido alvo de disparos.

Em reação, o PM disse que atirou de volta. Lucas, que é filho do cabo Lúcio Mário, ainda foi socorrido, mas não resistiu ao ferimento.

O nome do policial militar autor dos disparos não foi revelado. “Ele se apresentou, relatou o ocorrido e em seguido foi liberado”, acrescentou o delegado Marcos Vinícius, titular da DHPP. A arma do PM não foi apreendida. “Como ele ainda estava de serviço, ficou com a arma. Depois, em razão das investigações, a arma deverá ser solicitada para perícia”, ressaltou o delegado.

 

PM

Em nota, o comando da Polícia Militar disse o seguinte: 

Na noite desta sexta-feira (02), uma viatura do 4° Batalhão da Polícia Militar se deparou com várias pessoas conduzido motonetas no cruzamento das avenidas Coronel Estevam com a Bernardo Vieira. Foi verificado pelo contingente que alguns elementos estavam com armas em punho.

Segundo o efetivo policial houve disparo de arma de fogo feito pelos condutores de motonetas; que prontamente foi revidado pelo efetivo operacional, vindo a atingir a pessoa de Lucas Soares Costa, de 18 anos.

O jovem foi conduzido ao Hospital Clóvis Sarinho, vindo a falecer em razão do ferimento.

O jovem atingido é filho de um policial militar da PMRN.

Diante de tal situação, o efetivo policial envolvido apresentou-se a autoridade de Polícia judiciária para registro e procedimentos decorrentes.

O Comando Geral da PMRN determinou a instauração imediata de Inquérito Policial Militar objetivando apurar todas as circunstâncias dos fatos.

A PMRN lamenta o ocorrido, e dará todo o apoio a família do policial militar neste momento tão difícil.



Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Andre silas | Sábado, 03 de Fevereiro de 2018, 15h37
    0
    0

    Se aconteceu isso mesmo o policial esta correto quem ta no meio de vagabundo é vagabundo.

  • Jean | Sábado, 03 de Fevereiro de 2018, 14h57
    0
    0

    Se for verdade o que a policia diz, nada mais que justo, ação e reação, mais se não for o que fica é a vaidade acima de tudo, justificando um erro com outro, a covardia misturada com medo e ódio, causando mais uma vitima no mundo dos seres humanos, racionais.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS