23 de Maio de 2019,

Opinião

A | A

Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 06h:30 | Atualizado:

Joaquim Alves de Carvalho

Já é possível fazer redução de estômago por endoscopia

joaquimalvescarvalho.jpg

 

Reduzir o estômago sem cortes e com recuperação rápida já é possível com a nova técnica ‘sutura gástrica endoscópica’ ou ‘gastroplastia redutora endoscópica’ que consiste na redução do estômago por endoscopia. A ideia é simples, “costurar” a parte interna do estômago deixando-o em um formato de tubo, reduzindo sua capacidade em aproximadamente 70%. Após o procedimento a quantidade de comida ingerida para obter saciedade é menor o que reduz o peso corporal e traz auxílio para quem enfrenta a obesidade.

Essa nova técnica chegou ao Brasil em 2017 e já foi realizada em mais de 6000 pessoas ao redor do mundo com bons resultados ao que se propõe, apresentando baixos índices de complicações. A recuperação é rápida e em 2 ou 3 dias já se pode retornar às atividades habituais. Em mãos hábeis de um endoscopista treinado, pode ser executada em curto tempo, em média de 60 minutos.

Esse procedimento é feito exclusivamente pela boca com um aparelho chamado  Overstitch™ que permite a sutura endoscópica. A tradução literal do termo, "costura sobre", elucida bem o racional do procedimento.

Entre as vantagens da técnica estão o fato de ser menos invasiva, sem incisões cirúrgicas, execução de forma rápida (45 a 60 minutos em média), alta hospitalar no mesmo dia (menor custo social), menor risco de complicações durante e após o procedimento, nenhuma parte do estômago ou intestino é retirada e a possibilidade de reversão cirúrgica.

As desvantagens são que até o momento o procedimento não é coberto pelos convênios e a possibilidade de afrouxamento da sutura nas primeiras semanas por alimentação inadequada ou esforço de vômito.

É indicado para pacientes com índice de massa corporal (IMC) de 30 a 40com falência do tratamento clínico, medicamentoso e comportamental habitual, para pacientes com IMC acima de 40 que não possuem condições de cirurgia bariátrica ou que não à desejam e pacientes que querem um tratamento mais efetivo na sustentação do peso perdido a longo prazo do que a proporcionada pelo balão gástrico.

É preciso passar por uma avaliação com o médico endoscopista para analisar a indicação, esclarecer suas dúvidas, além de solicitar os exames e encaminhamentos necessários para a liberação do procedimento.

O importante é sempre ter em mente que após passar pela perda de peso inicial, a mudança dos hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos ajudam a manter a saúde e forma em dia, garantindo uma melhor qualidade de vida.

Joaquim Alves de Carvalho Júnior CRM-MT 9496  é médico endoscopista e atua no Centro de Endoscopia Cuiabá.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS