23 de Fevereiro de 2020,

Opinião

A | A

Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 09h:49 | Atualizado:

Cynthia Lemos

O empresário, sua equipe e o eletricista

cynthia-lemos.jpg

 

Você tem se sentido cansado? Cansado de ter que resolver tudo sozinho, de que só você se importa e que os membros da sua equipe são limitados.

Certa vez recebi a ligação de um empresário querendo conhecer um pouco mais sobre o meu trabalho.

Ele me disse que eu havia sido indicada por um amigo, após este compartilhar sua insatisfação em relação à forma como estava frustrado com a vida e com a empresa que o consumia.

Assim, marcamos um encontro em sua empresa. Ao chegar lá, após várias queixas e desabafos sobre a falta de qualidade de vida, ao porte que a empresa estava tomando, o empresário resume:

– Do que adianta tudo isso? Hoje, com quatro lojas, para quê? Se não consigo sequer tirar férias? Onde estão as pessoas qualificadas desse país?

Naquele momento, ao ouvi-lo em seu desabafo, após vários bips do seu celular, que não parava de tocar, ele me pede desculpa e licença para ler uma mensagem.

Após a leitura, suspira profundamente e vomita sua insatisfação.

– Aqui! OLHE AQUI! – Neste momento ele me mostra seu celular. – Você sabe o que a minha gerente estava me pedindo agora? Para eu lhe passar o número de um eletricista, pois a loja 2 teve um curto agora há pouco. Me diga, como vou crescer assim? Estou ferrado, e cansado.

Ouço com atenção mais um de seus desabafos de indignação e pergunto:

– E você?

– Eu? Eu o quê? – Apontando o dedo para si mesmo, me devolve a pergunta sem compreender.

– O que você fez? Em relação à indicação do eletricista?

– Ué, o que eu fiz? O que eu faço sempre, o que eu tenho que fazer sempre porque eles não fazem nada. Sim, claro que indiquei, passei três contatos que eu tinha para ela. Agora vão resolver.

Fico em silêncio e o fito nos olhos, até que ele possa naquele espaço perceber o que disse e se ouvir.

– Realmente, isso é um pequeno problema que parece não lhe custar muito, que enquanto você se prontifica a fazer ao invés de ensinar, acompanhar e delegar, sua equipe nunca é preparada para arriscar nada, sendo o que são por você, retroalimentados, os eternos dependentes. Para que eles vão pensar, buscar, lutar, enquanto tem alguém fazendo tudo isso?

A realidade deste empresário é a de muitos líderes que se queixam sobre a capacidade de suas equipes. Uma forma de se manter sem se responsabilizar sobre a mudança: “A minha equipe é desqualificada, não serve para nada!”

Quer mudança? Comece por você. Analise: “Qual a sua responsabilidade sobre aquilo que você se queixa” – já nos questionava Freud.

Cynthia Lemos é Psicóloga Empresarial e Coach na Grandy Desenvolvimento Humano. Especialista no Desenvolvimento de Líderes e Empresas tem a missão de: Expandir a Consciência e Gerar Ações Transformadoras – para pessoas e empresas que desejam evoluir em seus projetos e objetivos. Email: cynthia@grandy.com.br @Grandy

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • +Marcelo F | Segunda-Feira, 27 de Janeiro de 2020, 16h44
    1
    0

    Esse é um grande fator limitante ao crescimento das empresas, acontece que na velocidade atual das mudanças (tecnológicas, de concorrencia, tributação, exigências dos novo consumidores, etc.), muitas empresas ficarão pelo caminho. Resultado tanto econômico quanto financeiro já não são isoladamente as maiores preocupação para os donos de negócio.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS