23 de Janeiro de 2020,

Polícia

A | A

Quinta-Feira, 05 de Dezembro de 2019, 20h:19 | Atualizado:

ABSURDO

Ator é vítima de racismo e acusado de roubo


Gazeta Digital

andredlucca1.jpg

 

Artista André D'Lucca estava saindo para o trabalho na manhã desta quinta-feira (5) quando foi vítima de um ataque racista. Em um ponto de ônibus no bairro Jardim Cuiabá, um homem o acusou de ter roubado um computador. Em suas redes sociais, ele comentou sobre o ocorrido.

"Ele chegou a tocar na minha mochila pra ver se havia um computador dentro. Eu estou tão cansado que não consegui reagir da forma que deveria. Se tivesse reagido estaria na delegacia nesse momento", disse. 

Ele relatou que esse não é o primeiro, e muito provavelmente não será o último, ataque racista que já sofreu na vida. Por já ter acontecido tantas vezes, ele afirma não ver mais alternativas e não saber o que fazer para combater o racismo que chamou de "sistêmico". 

Conforme seu relato, ele estava aguardando o coletivo para ir ao trabalho, quando foi abordado por um homem em uma caminhonete. Ele questionou há quanto tempo André estava no ponto de ônibus e de onde ele vinha. 

"Eu pensei que era uma situação em que um carro para e pergunta se o ônibus passou há muito tempo e desce uma pessoa do carro que vai pegar o ônibus, mas não era. Então ele explicou que havia sido assaltado próximo ao Hospital Jardim Cuiabá por um homem negro de botas. Ele foi pegando a minha mochila que estava em cima do banco e percebeu que o computador não estava dentro", relatou. 

Quando percebeu que o artista não era criminoso. O homem entrou novamente do carro e deu partida, sem dizer mais nada. Para André, sua cor é o suficiente para que ele seja considerado um criminoso ou, no mínimo, suspeito. Por coincidência, esta quinta-feira é um dia em que André estava com muitas dores e, por isso, afirmou que não reagiu de maneira mais explosiva. Ele não registrou boletim de ocorrência ou procurou qualquer autoridade para esclarecer o fato.

"Eu já fui centenas de vezes em delegacias registrar boletim. Na maioria das vezes eles nem registram. Aconselham a não fazer e nunca dá em nada. Eu já, inclusive, registrei agressões  de policias durante abordagens com negros, que são muito violentas, mas nunca dá em nada. É uma sensação de impotência".

"Eu tive crise de choro. Eu sou conhecido, eu tenho condições, eu sou influente. Se algo me acontecer eu tenho a quem recorrer. E os pobres da periferia? Eu moro num bairro de classe média, na parte da elite do meu bairro e sofro preconceito por isso também", complementou. 

Ele contou, ainda, que recentemente um senhor o acusou de ter roubado um carro quando saia de casa, na mesma região. Ele sugeriu que o homem pedisse as imagens das câmeras de segurança da região que comprovariam que André esteve em casa durante todo o dia. O racismo que sofre, contudo, não é de hoje. 

Ele também relatou a primeira vez em que percebeu que sofreria preconceito por conta de sua cor, ainda quando criança. Acompanhando os pais em uma visita ao açougue em Várzea Grande, ele foi acusado de roubar a carne que a mãe tinha comprado. O segurança, além de tê-lo acusado, puxou-o pelo pescoço.

"A coisa sempre foi banalizada. Antes era até velado, mas agora está cada vez mais escancarado. Agora é legal você ser racista, você odiar negro. Tem aumentado muito os casos de negros mortos", finalizou.

 

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • Amanda Duarte | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 09h11
    0
    3

    Triste realidade.

  • Paulo | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 09h10
    7
    1

    "Eu sou conhecido, eu tenho condições, eu sou influente"........???????????????.........Parei de ler ( li até muito)

  • João Olavo | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 08h53
    1
    3

    Sei o que é passar por isso, sou negro e meu pênis tem 33 cm, é muito ruim, não posso usar calça apertada que marca, na escola me chamavam de tripé, jumento, kid bengala, é desconfortável as mulheres reclamam pq doi. Só quem passa por preconceito sabe como é.

  • Inteligentista | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 08h49
    7
    0

    De novo esse cara? Aff

  • marcos franco | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 08h13
    6
    0

    esse camarada quer estar sempre envolvido em polemicas devia se juntar ao vereador abilioe scadanlos que dariam certo dois que querem ter publico mas são fracos medas verdadeiros palhaços de circos

  • CARMEN | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 08h04
    6
    0

    Coitado. Que pena. Tadinho. Quanta perseguição. Sempre injustiçado. MELDELS. Um santo caminha entre nós.

  • Ares | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 08h03
    7
    0

    Síndrome de vitimismo?

  • Inacio | Sexta-Feira, 06 de Dezembro de 2019, 00h40
    5
    0

    Me solidarizo com o ator que sofreu uma violência. Um crime não justifica outro... mexer na mochila dele sem a presença do policial é crime! Mas daí a dizer que foi racismo e pior: "sistêmico" aí tbm já é exagero. Se a maioria dos crimes naquela região são perpetrados por negros, quando a polícia aborda ele por ser negro não considero racismo apenas um dado matemático... já pensou se a PMMT recebesse o chamado seguinte: homem negro rouba uma casa.... ao procurar o suspeito a PM seria obrigada a revistar todos? Perdendo tempo e fazendo com que o criminoso escape....... esse assunto é sério e é grave ... mas dai a Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus.. neste caso não houve racismo

  • J.José | Quinta-Feira, 05 de Dezembro de 2019, 22h31
    14
    11

    Tem alguém do Folhamax que é parente deste que se intitula "ator". Tem? Tão sempre tentando levantar a bola murcha dele.

  • Paolo | Quinta-Feira, 05 de Dezembro de 2019, 21h13
    15
    10

    Influente??? Kkkkk chuta q é frango de macumba.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS