17 de Fevereiro de 2020,

Polícia

A | A

Sexta-Feira, 10 de Abril de 2015, 16h:36 | Atualizado:

ESTRADA DA GUIA

Empresário é preso por fazer programas com menores em Cuiabá

programas.jpg

 

Dois homem acusados de agenciar meninas para programas sexuais foram presos pela Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), da Polícia Judiciária Civil, na manhã desta sexta-feira durante operação para cumprimento de quatro mandados, sendo dois de prisão e dois de busca e apreensão domiciliar.

Os suspeitos, A.N.A., 21, e H.R.M, comerciante, 54, tiveram a prisão temporária decretada no inquérito policial instaurado para apurar crimes de estupro de vulnerável em continuidade delitiva e favorecimento a exploração sexual. Nas investigações, a Polícia Civil descobriu que o acusado A.N.A. “agenciava” meninas menores idade para manter relação sexual com o comerciante.

Uma das vítimas, de apenas 12 anos, foi identificada e ouvida pela Delegacia Especializada. Ele contou que recebia R$ 200 reais, sendo repassados 100 para o agenciador.  

Diante dos indícios de existência de crime, os pedidos de prisão temporária, bem como busca e apreensão domiciliar visando coleta de mais provas, foram representados pela Polícia Civil e decretados pela 14ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. Um dos mandados de busca e apreensão domiciliar foi cumprido em um Condomínio na Estrada da Guia, região do bairro Ribeirão do Lipa, em Cuiabá, e a outra ordem judicial cumprida em uma Instância localizada na Rodovia MT 251, km 40, estrada de Chapada dos Guimarães, onde os policiais civis realizam buscas. 

Os dois criminosos, após receberam voz de prisão em conformidade ao cumprimento dos mandados, foram conduzidos à Deddica e interrogados pelo delegado de polícia Eduardo Augusto de Paula Botelho, que comanda a investigação. Conforme o delegado Eduardo, as diligências continuarão para identificar outras vítimas, que eram agenciadas pelo acusado A.N.A. e exploradas sexualmente pelo comerciante preso.

 

 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS