20 de Outubro de 2019,

Polícia

A | A

Sexta-Feira, 04 de Julho de 2014, 09h:01 | Atualizado:

CARRO ZERO

Ex-frentista é acusada de golpe de R$ 200 mil


CÁCERES

Quatro pessoas registraram queixa contra a ex-frentista e presidente da Associação de Mães Pinel Chaday, Raquel da Silva, de 37 anos, acusada de vender picapes Hilux, S 10 e SW4 doadas pela Receita Federal de Brasília e de Cáceres (cidade a 230 quilômetros a oeste de Cuiabá) e que não foram entregues. As vítimas disseram que tiveram um prejuízo de R$ 200 mil. O dinheiro foi depositado na conta da Associação, mas ao verificar, as vítimas do golpe descobriram que só havia R$ 14 mil. 
Na última terça-feira, a presidente chegou a ser levada ao Plantão Metropolitano da Capital para prestar esclarecimentos e foi liberada, uma vez que os fatos ocorreram no início da semana. Aos policiais, ela negou que tivesse aplicado golpe algum. Alegou que os carros não foram entregues para a RF e, além disso, não estipulou prazo para repassar as picapes. 
Conforme as vítimas, na quinta-feira da semana passada, elas receberiam as picapes, no valor de R$ 20 mil cada, considerado um preço formidável. Dias antes, já tinham feito depósitos bancários de cerca de R$ 200 mil. “Seriam mais de 20 picapes que as pessoas poderiam escolher”, disse um policial. 
Uma das pessoas que se sentiram lesadas, depositou R$ 80 mil e outra R$ 100 mil sendo R$ 50 mil para o amigo. A quarta pessoa quis comprar somente um veículo, fez o depósito de R$ 20 mil. 
Conforme os policiais, as vítimas fizeram depósito bancário na conta jurídica da Associação. Ao descobrir que não havia mais dinheiro na conta e também não receberam os veículos procuraram a Polícia. 
Os policiais acrescentaram que a presidente da associação trabalhou como frentista de uma rede de postos de combustíveis da Capital de propriedade de um empresário investigado recentemente no crime de lavagem de dinheiro. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS