03 de Julho de 2020,

Polícia

A | A

Terça-Feira, 29 de Abril de 2014, 16h:40 | Atualizado:

DESRESPEITO

IML demora 13 horas para recolher corpo em abrigo

O corpo de um homem de 57 anos, que morreu na madrugada de segunda-feira, dentro de um abrigo mantido pela Secretaria Municipal de Assistência Social de Cuiabá, ficou dentro do quarto junto com outros internos por mais de 12 horas aguardando a chegada do Instituto Médico Legal (IML).

O caso aconteceu num dos abrigos do projeto “Abordagem Solidária”, que recebe moradores de rua e fornece alimentação, roupas e ajuda psicossocial a eles. De acordo com os funcionários do local, a morte do homem aconteceu ás 4h em decorrências de complicações de diabetes. O corpo permaneceu no quarto junto com outros internos até às 16h.

Funcionários do Instituto Médico Legal (IML), afirmaram que só ficaram sabendo da morte às 10h30, mas não podiam fazer o recolhimento do corpo, por estarem em outra ocorrência na cidade de Acorizal (64 km de capital). Hoje, apenas uma viatura “rabecão” atende toda a  Baixada Cuiabana.

Outro lado

Na manhã desta terça feira (29) a Politec afirmou em nota que o Instituto Médico Legal não faz o recolhimento quando uma pessoa tem a morte natural. Em casos como este, o corpo deveria ter sido encaminhado para o serviço de verificação de óbito, que funciona no Hospital Universitário Júlio Muller. 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS