29 de Março de 2020,

Polícia

A | A

Sábado, 27 de Dezembro de 2014, 17h:57 | Atualizado:

ESCALADA DA VIOLÊNCIA

Registros de roubos e latrocínios crescem em Cuiabá

derf.jpg

 

Número de roubos praticados em Cuiabá cresceu 29%, entre janeiro a novembro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 5.171 mil assaltos, contra 4.018 crimes da modalidade em 2013. Entretanto, os furtos caíram 13%. No ano passado foram praticados somente na Capital, 10.138 mil furtos, contra 8.849 neste ano.

Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp/MT), repassados e comentados pelo delegado titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) da Capital, Roberto Amorim.

Conforme o delegado, a motivação para o aumento de roubos - crime praticado pelo ladrão armado e em que ameaça a vítima – ocorre principalmente pela impunidade e uso de drogas pelos criminosos.

O delegado explica que a impunidade começa pelo fato do ladrão não temer a prisão, e quando preso, acaba se associando com outros criminosos, gerando um círculo vicioso de mais crimes, praticados quando soltos.

“A superlotação das cadeias, liberação desenfreada de outros, que acabam reincidentes nos crimes, uso de drogas e falta de opções de trabalho aumentam a delinqüência”. Amorim afirma que a prisão deve ser um exemplo, e não motivo de deboche pelos criminosos.

A grande maioria dos assaltos, 59%, foram cometidos em via pública, 15% em residências e 10% em estabelecimentos comerciais. Os locais de maior incidência dos crimes foram a grande Morada do Ouro, que engloba os bairros CPA e redondezas, onde foram praticados 537 roubos, entre janeiro e novembro deste ano. Em seguida vêm as regiões Centro Norte e Porto, onde ocorreram 399 e 138 crimes respectivamente.

Delegado não vê um futuro com perspectivas melhores em Cuiabá, pois, segundo ele, os adolescentes e jovens estão começando a praticar crimes cada vez mais cedo. “Muitos são levados pela ambição, eles vêem os rapazes de mesma idade com um tênis bonito, não tem condições, e passam a cometer primeiro, pequenos delitos, depois passam a adquirir armas”.

Latrocínio – O roubo seguido de morte também registrou aumento em 2014. Foram 13 pessoas assassinadas em assaltos, crescimento de 18%, com relação ao mesmo período do ano passado, onde 11 perderam a vida nessa modalidade de crime.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS