18 de Agosto de 2019,

Polícia

A | A

Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h:09 | Atualizado:

TRAIDOR EM CASA

Sobrinho de consideração é preso por passar rotina de servidora a bandidos em VG

Delegada afirma que William Neto Leite foi quem encomendou assalto que culminou com a morte de Sandra Travaína

SERVIDORA-WILLIAM.jpg

 

O quarto suspeito investigado na morte da servidora municipal de Várzea Grande, Sandra Regina de Siqueira Travaina, 48 anos, ocorrido na madrugada do dia 2 de julho, foi preso na manhã desta sexta-feira (12.07), nas proximidades do local onde a vítima foi morta, após uma tentativa de roubo a casa dela, por haver informações de da existência de joias e dinheiro.

O suspeito será apresentado às 10h30, na sede da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Várzea Grande, momento que a delegada Elaine Fernandes atenderá os veículos de imprensa interessados.

O suspeito, William Neto Leite, é conhecido da família, filho de uma amiga da vítima. Ele passou informações privilegiadas da rotina e dos bens que a vítima teria dentro da residência aos comparsas executores.

O rapaz era considerado da família e se identificava com sobrinho da vítima.  Ele tem passagens por roubo majorado e receptação, e é considerado um criminoso contumaz na prática de delitos. "Representei pela prisão preventida dele na medida que conseguimos todos os elementos que comprovavam que ele é coautor do latrocínio. Foi ele quem planejou tudo, que repassou informações privilegiadas, ou seja, quem encomendou o roubo", disse a delegada Elaine Fernandes. 

A delegada disse ainda  que o prazo da conclusão do inquérito vence nesta sexta-feira e ainda apura um quinto suspeito de ter auxiliado na logística e transporte dos criminosos até o local e suporte na fuga.  

Os três executores do latrocínio: André Luiz Gomes, 20 anos, conhecido por “neguinho”, Jordão Rodrigues Neto, e Maikon Douglas Alves dos Santos (Sujeirinha), já estão presos. André Luiz foi preso em Cáceres no dia 7 de julho. Jordão Rodrigues se apresentou na Delegacia no dia 9, e Maikon Douglas dos Santos se entregou no dia seguinte, 10 de julho, alegando estar mais seguro preso.

Os suspeitos estão indiciados por latrocínio consumado e associação criminosa.

 

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Leal | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 11h21
    8
    1

    Num país sério esses malditos apodreceriam na cadeia...Aqui a Legislação protege o criminoso da “sanha vingativa da Sociedade” (segundo os aliados de Bandidos,militantes da Esquerda)...

  • Paulo Boss | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 11h02
    8
    2

    E ai RENATTUS ? Seus parentes devem sentir o mesmo em relação a você. Quem nivela por baixo, por baixo será nivelado !

  • alex | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h49
    15
    0

    Esse crápula merece arder no fogo do inferno!

  • Elaine | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h48
    12
    0

    Ele não é sobrinho da vítima. Segundo a delegada responsável pela investigação, ele é filho de uma amiga da vítima. Era considerado como se fosse da família pela amizade entre mãe dele com a vítima. Li em outro site o esclarecimento da delegada

  • RENATTUS | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h39
    14
    0

    GENTE APRENDE... PATO, PERU, E PARENTE CAGA NA GENTE. NA MINHA CASA NÃO GOSTO QUE ENTREM NEM PELA SALA. É A MAIOR DESGRAÇA QUE EXISTE....FIQUEM ESPERTO.

  • Zé Trator | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h33
    8
    0

    Eai não vão passar esse noiado????????? Tem que cancelar esse cpf logo!!!!!

  • +Rogério | Sexta-Feira, 12 de Julho de 2019, 09h28
    11
    2

    uma vez petista, digo bandido, sempre bandido.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS