21 de Setembro de 2019,

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 17h:47 | Atualizado:

MACHÃO

TJ solta empresário preso por agredir filha de ex-secretário em Cuiabá

Breno Pereira Alves cumprirá medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica

brenoalves-prisao.jpg

 

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ-MT) mandou soltar o empresário Breno Pereira Alves. Ele agrediu sua ex-namorada, a terapeuta V.O.P., de 39 anos, no início do mês de maio de 2019. A vítima é filha do ex-chefe do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot. 

Os magistrados seguiram por unanimidade o voto do relator, o desembargador Alberto Ferreira de Souza, em julgamento ocorrido nesta quarta-feira (19). O membro da 2ª Câmara Criminal não deu detalhes sobre os motivos da soltura, informando apenas que o agressor cumprirá outras medidas cautelares, como a proibição de se aproximar e de manter contato com a vítima, por exemplo.

Em boletim de ocorrência registrado na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá, da Polícia Civil, a terapeuta V.O.P, de 39 anos, relata que foi vítima de abuso sexual, lesão corporal, injúria, sequestro e cárcere privado no dia 4 deste mês, um sábado, em Cuiabá. Os crimes, de acordo com o relato da vítima no documento policial, foram praticados pelo ex-namorado dela, o empresário Breno Pereira Alves, que teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e no momento é considerado foragido.

A vítima relatou que o namoro com o suspeito durou um ano, mas terminou há cerca de seis meses. No dia dos fatos, ele a procurou e disse que estava a fim de conversarem.

A vítima relata que aceitou se encontrar com Breno que a buscou em casa e ambos foram para a residência dele, no bairro Bosque da Saúde, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Av. do CPA). No local, segundo ela, ambos mantiveram relação sexual de forma consensual após terem conversado por um determinado período.

As agressões, conforme o relato da vítima, começaram quando ela disse que iria embora e foi impedida de deixar o imóvel. Ela foi questionada pelo acusado se não gostava mais dele e respondeu que ele já tinha se envolvido com outra pessoa após o término do namoro com a vítima.

Depois foi vítima de agressões e violência sexual. “Neste momento ele a pegou pelos cabelos a arrastou para o quarto e disse, agora você vai apanhar, que na hora pedia ‘não faz isso comigo Breno’, que cada vez que pedia ele ficava mais agressivo e a xingava de f...da p.., biscate entre outras. Que se calou e deixou ele bater, que deu vários tapas pelo corpo dela, chutes nos braços, nas pernas, deu mordidas nas costas dela, e ainda introduziu a mão fachada em punho nos órgãos genitais dela”, consta no boletim registrado no dia 6 de maio às 16h23.

Ainda de acordo com o documento policial, a vítima foi levada para realizar exame de corpo delito e representar contra o acusado pedindo medida protetiva. 

A prisão preventiva foi decretada pelo juiz da Vara de Violência Doméstica de Cuiabá, Jamilson Haddad. 

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Bianca | Segunda-Feira, 24 de Junho de 2019, 08h53
    0
    0

    Um cara que é acusado duas vezes pelo mesmo crime por duas ex namoradas, isso só prova o quanto essa justiça é cega, é lenta e só beneficia esses machões que acham que pode tudo. Essa menina precisa se cuidar, vai amanhecer morta e depois não adianta justiça. O que tem que ser feito é AGORA.

  • Anônimo | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 23h10
    1
    0

    Acho que a redação devia ter mais cuidado com o que notícia, principalmente com esse “machão”, duvido que procuraram o advogado dele ou a família para se posicionar. Se os três desembargadores votaram para sua liberdade é o que foi comprovado que essa V. O. P. Nao foi tão convincente após dizer “tudo aquilo” ele estará em Liberdade. Neymar da Penha

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS