27 de Maio de 2020,

Polícia

A | A

Sábado, 28 de Março de 2020, 10h:45 | Atualizado:

QUARENTENA

Violência feminina cai 35% em MT

vitima-.jpg

 

Os registros de ocorrência envolvendo vítimas femininas de 18 a 59 anos de idade teve redução de 35% em Mato Grosso, entre 10 de março e 24 de março de 2020, que inclui o período de isolamento instituído por conta da pandemia de Covid-19. O índice leva em conta a comparação deste ano (1.402 casos) com o mesmo período do ano passado (2.170).

Nestes números, levantados pela Superintendência do Observatório de Violência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT), estão incluídas as principais naturezas criminais praticas contra mulheres, como ameaça, homicídio doloso e assédio sexual, por exemplo.

O crime de ameaça, que é o mais registrado, apresentou redução de 31%, com 657 casos, contra 958 no ano anterior. O mesmo índice foi constatado para lesão corporal, mas com os registros de 326 e 473 casos em 2020 e 2019, respectivamente. O assédio sexual também apresentou -63% de registros, sendo sete ocorrências este ano e 19 no ano passado.

Com relação ao estupro de vulnerável, a redução foi de 100%, já que não houve registro atual, enquanto em 2019 foram seis casos. Já no caso do estupro, 2020 apresentou um caso a mais em comparação com o ano anterior: 13. Houve aumento também de ocorrências de importunação sexual, sendo que o número saltou de um para sete de um ano para o outro.

A tentativa de homicídio também reduziu. Foram 11 casos em 2020 e 19 em 2019 (-42%). Já os registros de homicídio doloso passaram de quatro para seis.

Os crimes de injúria, difamação e calúnia reduziram em 37%, 59% e 40%, respectivamente. Ocorrências de perturbação da tranquilidade também foram menos registradas em 55% (30 casos em 2020 e 67 casos em 2019). Foram identificados ainda -34% de casos de violação de domicílio.

Os registros envolvendo vítimas femininas de 18 a 59 anos de idade também apresentaram redução em Cuiabá e Várzea Grande, sendo -32% e -23%, respectivamente. Na Capital, foram registrados 343 casos, entre 10 de março e 24 de março de 2020, contra 505 no mesmo período do ano anterior.

Já em Várzea Grande, as ocorrências reduziram de 203, neste período de 2019, para 156, este ano. Em nenhuma das duas cidades houve caso de homicídio doloso contra mulheres.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • João | Sábado, 28 de Março de 2020, 14h24
    2
    1

    Acontece muita agressão por causa da cachaça, então, se bar fecha e puteiro também, porque vai ter briga? São novos tempos, toda tragédia ensina novos comportamentos pra evolução humana.

  • LIMA | Sábado, 28 de Março de 2020, 12h20
    3
    0

    Quando vejo uma matéria dessa de violência contra as mulheres. eu fico imaginando se a minha mãe passou por isso .sendo que ela passou por 3 casamentos e teve 10 filhos de 3 homens.nesse caso fico eu imaginando também minhas irmãs em suas casas.sabemos que algumas mulheres sofrem caladas. Uma vez quando eu era criança vi meu irmão mais Velho dar um soco no nariz da esposa dele e isso nao sai da minha cabeça. Jorrou tanto sangue. Isso foi em 1987 olha o tempo ate parece que foi ontem essa cena errônea

  • Davi | Sábado, 28 de Março de 2020, 11h31
    0
    1

    A violência de um modo geral caiu. Deveriam mostrar o comparativo.

  • Luana | Sábado, 28 de Março de 2020, 10h55
    1
    0

    MENTIRA DESLAVADA.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS