19 de Novembro de 2019,

Política

A | A

Domingo, 20 de Outubro de 2019, 09h:07 | Atualizado:

UNIÃO

Associação emite apoio a professora arrastada em festa em MT

prof-foto.jpg

 

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT), campus Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, emitiu uma carta, na sexta-feira (18), em apoio à professora Lisanil Conceição Patrocínio Pereira, que foi arrastada e detida na festa de uma igreja católica, em Campos de Júlio, a 692 km de Cuiabá, no último domingo (13).

A entidade afirma que a professora foi humilhada durante o evento e alega violência por motivação política.

A professora, que vestia uma camiseta com as frases 'Lute como uma Garota' e 'Lula Livre', disse à Associação dos Docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Adunemat) que foi 'abordada de forma ostensiva pelos participantes que comentavam e a olhavam com estranheza e desdém pelas marcas de sua orientação política, estampada na camiseta'.

“Registramos nosso total repúdio aos atos violentos que a professora Lisanil, mulher negra, mãe, trabalhadora, pesquisadora, cientista, chefe de família, militante do Partido dos Trabalhadores foi vítima”, diz trecho da carta.

Os participantes e organizadores do evento alegaram que a professora causou tumulto e confusão no local e, por isso, chamaram a polícia. Eles acusaram a professora de estar transtornada e embriagada.

A Polícia Civil explicou que a professora foi detida e autuada em flagrante pelos crimes de pertubação do sossego, desacato e resistência. Ela pagou fiança de R$ 2,5 mil na segunda-feira (14) e foi solta.

O G1 ligou para o Pavilhão Comunidade Nossa Senhora das Graças, onde o evento aconteceu, mas as ligações não foram atendidas.

Vídeos gravados por participantes da festa mostram o momento em que um policial civil aborda a professora no palco e tenta retirá-la à força. Pelo menos outros quatro homens também tentam segurá-la. Ela é puxada pelos braços e arrastada pela escada do palco.

“Todos [da festa] incapazes de dividir o espaço com uma pessoa de posicionamento ideológico diferente, incomodados com o simples fato de Lisanil solicitar músicas regionais, é possível ver que a ação violenta foi cometida por homens que a arrastaram pelo chão do salão paroquial, expondo suas partes íntimas, desrespeitando absolutamente sua condição humana”, ressaltou a ADUFMAT na carta.

A professora afirmou ao G1 que está abalada emocionalmente e não quis comentar sobre o que aconteceu.

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Edmalvadeza | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 09h29
    1
    0

    Pelo que vi no video, fiquei preocupado, como que uma mulher louca dessas pode dar aulas??? Por isso que as nossas faculdades estão um lixo... Professores despreparados, com cursos de doutorado sem relevância ou de pouco ou nenhum valor acadêmico...muito lixo e poucas pessoas gabaritadas...

  • J.José | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 00h27
    1
    0

    Lixo a manifestante, a adufmat e a reportagem.

  • Teodoro da Silva Junior | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 21h45
    8
    1

    Não entendo a razão de continuar a dar destaque para esse assunto! Não tem a mínima importância

  • Paolo | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 21h27
    8
    1

    Vai pra sala de aula trabalhar sua SAFADA SEM VERGONHA.

  • Julio | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 20h08
    7
    0

    Todo professor deveria fazer uma pós-graduação na Venezuela por um ano recebendo o equivalente a um salário mínimo venezuelano para saber a diferença entre teoria e prática.

  • Luna | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 20h06
    10
    1

    O custo de um aluno em uma universidade pública no Brasil ultrapassa R$ 4000,00 (quatro mil reais) por mês. Seria mais barato fortalecer as bolsas de financiamento estudantil e evitaria essa doutrinação nojenta que inclui serviços de protesto contra criminoso preso.

  • Davi | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 20h01
    3
    0

    Ares não me faça rir. Se fosse o contrário no mínimo uma facada.

  • Ares | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 17h34
    2
    5

    Pode ficar tranquilo Davi nós fazemos questão de passar bem longe não idolatramos bandido não somos a favor da corrupção

  • Davi | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 14h52
    10
    1

    Se fosse alguém com a camisa do Bolsonaro num evento do PT o que teria acontecido?

  • joana | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 11h20
    11
    1

    pra que falar de politica ou vestir uma camiseta que ja passa uma mensagem em um evento destes????

  • Só observo | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 11h10
    11
    3

    Uai!!! Agora a turna do PT acha que devido o fato de usarem uma camiseta com inscrições que pede a liberdade de um ladrão, são isentos de cumprir a ordem e as leis do país? Será que se tiver um evento da turma da esquerda numa universidade ( que eles pensam que deles..) e chegar um com uma camiseta do Jair , esse vai ser bem tratado?? Fiaa..essa de causar e pagar de vítima já passou...era do PT acabou. Vitimismo paia.

  • Antonio | Domingo, 20 de Outubro de 2019, 10h50
    13
    1

    Na verdade essa associação deveria ser processo também por apoiar incitação em local não apropriado.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS