12 de Novembro de 2019,

Política

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

MUDANÇAS NO ALENCASTRO

Mauro define cinco que serão demitidos

Ilustração

antenor

 

Após garantir a aprovação do projeto que prevê a reestruturação do Palácio Alencastro, o prefeito Mauro Mendes (PSB) passa a debater a nova formação de seu secretariado para o próximo ano. A expectativa é que os nomes sejam anunciados até a próxima semana, tendo em vista a proximidade das festas de final de ano. 

Embora evite falar sobre nomes, o socialista admite rever o atual quadro do primeiro escalão do município sob a justificativa de que o Executivo necessita de ajustes para garantir o êxito do enxugamento que será promovido a partir de 1º de janeiro. A reestruturação permitirá a extinção de sete secretarias. Conforme o projeto, a Prefeitura passará de 24 para 17 pastas. Por conta disso, a revisão de seu staff. 

Nos bastidores, o comentário é que entre os secretários que devem deixar a administração pública estão Marcus Fabrício, atual secretário de Turismo; Roberto Campos Correa, que responde até o momento pela secretaria de Governo; Elias Andrade, que está à frente da paste de Agricultura e Abastecimento, bem como Antenor Figueiredo, que comanda a secretaria de Transito e Transporte Urbano. 

Os vereadores da Câmara de Cuiabá ainda pleiteiam a saída do secretário de Saúde Werley Peres (PDT). Os parlamentares chegaram a assinar um documento solicitando a saída do pedetista da pasta. Em decorrência indicaram o vereador Maurélio Ribeiro (PSDB) para ocupar o posto. 

O parlamentar tucano, entretanto, declinou da indicação alegando que foi eleito para vereador, e por isso, permanecerá na Casa de Leis cumprindo com o seu papel de vereador. 

O texto aprovado pelo Parlamento Cuiabano prevê a fusão das secretarias de Governo e de Comunicação. A nova Pasta, que também ficará responsável pelo gabinete do prefeito e pela Secretaria de Assuntos Estratégicos em Brasília em Brasília, deverá ser comandada pelo atual secretário de Comunicação Kleber Lima. 

Com a adequação, a Secretaria de Gestão agregará os serviços que, atualmente, são desempenhados pelo Cuiabá-Prev e pelo núcleo de compras e licitação. Já as Pastas de Planejamento e Finanças serão fundidas, agregando ainda o Núcleo de Convênios, que até agora está sob a responsabilidade da Secretaria de Governo. O mesmo acontecerá com as secretarias de Cultura, de Esportes e de Turismo. 

Outra fusão é a junção das secretarias de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Urbano. Além disso, a nova Secretaria de Ordem Pública deve absorver a de Apoio à Segurança Pública, o Núcleo de Fiscalização e o Procon. A Controladoria-Geral do município, por sua vez, passará a desempenhar também a função exercida atualmente pela Ouvidoria. 

As secretarias de Transito e Transporte Urbano, Fazenda, Obras Públicas, de Serviços Urbanos, de Saúde, de Educação e de Assistência Social continuarão as mesmas. A Procuradoria Geral também não sofreu alteração. A pasta de Cidades, entretanto, teve sua nomenclatura alterada para Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária. 

Com relação a autarquias, Mendes determinou a extinção da Fundação Educacional de Cuiabá (Funec), permanecendo apenas com Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano (IPDU). A proposta ainda prevê a criação de mais um cargo de fiscal junto à Agência Municipal de Água e Esgoto (Amaes), que já conta com dois diretores de Fiscalização. 

Além disso, autoriza a demissão de 500 servidores entre comissionados, contratados, terceirizados e estagiários. A medida deve começar a ser implementada por Mendes a partir de 1º de janeiro. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS