15 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 05 de Fevereiro de 2018, 22h:31 | Atualizado:

O ALGOZ

Percival quer enfrentar Taques pelo Governo


Diário de Cuiabá

percival-muniz.jpg

 

Uma aliança formada por partidos de oposição ao governador tucano Pedro Taques. Isso é o que defende Percival Muniz (PPS), que para tanto sairia candidato ao governo – desde que Otaviano Pivetta (sem partido) – para ele o principal nome da oposição - e os outros líderes oposicionistas não queiram assumir a disputa.

Percival fala com naturalidade sobre a eleição de outubro, acredita que as candidaturas a presidente puxarão votos nos estados, vê Lula enquanto herói, acha que Taques “trava o desenvolvimento de Mato Grosso” e acena com a possibilidade de deixar seu partido caso seja protagonista do enfrentamento com o governador, que já deu o sinal verde na composição de suas chapas majoritárias faltando definir apenas o nome ao Senado. Percival não fala isoladamente sobre a política mato-grossense.

Ele a insere no processo nacional. Acredita que Lula escreveu seu nome na história e que será o grande cabo eleitoral, “acho (difícil a reversão da condenação) que seria melhor para ele não ser candidato, pois já cumpriu seu papel, será visto na condição de vítima e não correria o risco de presidir o país aparentemente sem saída”, observa.

Percival acredita que diante do cenário, com a esquerda prejudicada por escândalos, o ex-presidente apoiará Ciro Gomes (PDT), “que não tem culpa pela crise ora instalada”. O apoio de Lula a Ciro – avalia – fortaleceria o deputado federal Ságuas Moraes (PT) e o deputado estadual Zeca Viana (PDT), que passariam a serem nomes fortes para as disputas majoritárias. 

Ainda sobre composição nacional, Percival vê risco para o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), que segundo ele, é um dos nomes naturais na liderança da aliança local em construção. No entanto, caso Mauro confirme sua filiação ao DEM – como se comenta -, perderia o discurso defendido pela oposição a Taques, “porque tudo indica que Rodrigo Maia (DEM/RJ) será vice na chapa que será encabeçada ou por Michel Temer ou pelo ministro Eliseu Padilha. Em caso contrário, mantida sua presença no PSB, ele é um bom quadro”, frisa. 

Longe dos jornalistas, líderes dessa informal aliança alinhavam estratégias. Percival revelou que Pivetta, Mauro, Viana, Ságuas, o deputado estadual Romoaldo Júnior (MDB), Francisco Faiad, o ex-senador Antero Paes de Barros e outros acompanham e discutem todos os cenários políticos possíveis. 

Até recentemente presidente da Comissão Executiva Provisória Estadual do PPS, Percival foi destituído e seus companheiros da direção partidária, também. O partido passou a ser controlado por um grupo ligado a Taques, o que consequentemente o isola dessa aliança ora costurada. Essa condição não assusta Percival, que teria recebido convites para se filiar ao PR, MDB, PDT, PSB, PT PCdoB e PHS. “Esses convites não foram feitos pelos partidos, até porque a situação (de sua desfiliação) não está posta, mas por suas lideranças”, observa. 

TAQUES

Apoiador de Taques ao governo, Percival agora o vê com outros olhos. Define sua administração como “arrumação de freio”, que em outras palavras quer dizer: o governador planejou o reordenamento administrativo, mas o fez sem a participação dos partidos e “esses não foram convidados (para o reordenamento) e também não quiseram se intrometer”. Mais: entende que o modelo adotado por Taques ficou restrito às quatro paredes do Palácio Paiaguás e que Mato Grosso está ‘travado’. 

Percival acredita que o destravamento somente será possível com a participação dos partidos, pois agora “(o governo) é um principado e nós (os partidos) teremos que ouvir o povo para ver o que a população quer para Mato Grosso”, resume. 

Percival dos Santos Muniz foi vereador por Rondonópolis, vice-prefeito daquele município e por três vezes seu prefeito; foi deputado federal constituinte e por duas vezes deputado estadual. 

Maior líder da oposição, segundo Percival, Otaviano Pivetta sustenta o discurso da criação da aliança e o faz com frases que demonstram convicção. Num recado duro a Taques, desabafa: “para construir o futuro você não tem que estar amarrado ao presente”. Pivetta diz que o governador se isolou do grupo que o elegeu; acredita que a população, no momento certo, exigirá a formação da aliança para mudar o rumo de Mato Grosso. 

Pivetta foi um dos principais apoiadores de Taques ao Senado (em 2010) e ao governo (2014); descarta candidatura ao Paiaguás ou a qualquer outro cargo. Vê bons nomes entre o grupo que costura a aliança, mas não aponta nenhum. 

 



Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Mário Arruda | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 14h09
    1
    0

    O melhor gestor que Rondonópolis já teve!! Excelente nome, tem experiência de gestão, competente e carismático! Diferente desse Pedro, só olha para trás, gosta de se fazer de vítima, não assume a sua incompetência, só olha pro retrovisor, tudo culpa das ex-gestões... Mato Grosso precisa olhar para frente!!! Chega desse governo medíocre!

  • João Paulo Marques | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 14h04
    1
    0

    Essa onda de direita tem rabo curto, logo a população vai perceber que não obteve nenhuma melhora de todas essas reformas. Única forma de melhorarmos nossa situação é a resolvermos o conflito distributivo. Percival está certo, nosso estado está sem representantes da classe média e dos mais pobres. Existe um grande espaço político a ser explorado, ainda mais com a direita rachada e com lideranças fracas.

  • Eduardo Pedroso | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 13h18
    2
    0

    Rapaz essa turma ainda tá de pé ??? Percival, Julio , Jaime , Carlos Bezerra , Riva , Bosaipo , PUTZ... só de falar nesses nomes lembrei da prainha aberta ainda..........já foi meu filho, o mundo tem que girar. Chega dessa turma que mamou em MT a vida inteira. A Politica atual precisa de pessoas jovens com pensamentos empreendedores, atualizadas com a tecnologia, com a gestão publica... PARA ! com essa turma que ja deu o que tinha que dar.

  • Analista Político | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 11h09
    3
    5

    Percival mereceu levar essa rasteira, esse golpe. O povo de Rondonopolis sabe do que estou falando!!

  • Analista Político | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 10h45
    9
    2

    Quem diria em Percival, logo você, um “veiaco” na política ter levado uma rasteira do nanico, é por isso que nem na minha sombra confio mais.

  • Carlos | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 10h00
    8
    2

    Quando surgiu essa candidatura do Percival a achei interessante. Minha primeira impressão foi que tratar-se-ia de um político experiente, bom debatedor, excelente em analisar cenários e traçar estratégias. Poderia, sim, fazer frente ao governador Pedro Taques. Contudo, depois desta matéria começo a achar que trata-se de um velho gaga, isso sim! Ora, a afirmação de que o Rodrigo Maia será vice numa chapa encabeçada por Temer ou Padilha foi a análise de conjuntura mais dissociada da realidade que vi nos últimos tempos. Para Temer ou Padilha se lançarem candidatos, eles teriam que estar mais gagas que o próprio Percival.

  • Carlos | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 09h16
    8
    5

    Este ai ficou 4 anos sumido e agora resolveu aparecer. Não ganha nem pra sindico este percival kkkkkk

  • alexandre | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 08h22
    7
    4

    taxis tomou o partido dele....

  • Ari Bonilha | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 07h08
    10
    4

    O Percival ficou em cima do muro acompanhando as lambanças do Taques! Agora veio a traição definitiva com Taques o alijando do PPS (nem isso o cara respeitou). Jogado pra escanteio e sem grupo Percival quer dar uma de "migué", posando de liderança estadual. É carta fora do baralho assim como Piveta, pois, lavaram as mãos nesse mandato mal sucedido. O nome para dar um basta em Pedro Taques é Mauro Mendes! Só não ganha se não for candidato. Mauro foi coerente, concluiu seu excelente mandato de prefeito de Cuiabá e ficou de fora dois anos de quarentena como deveria ser. Agora, está a vontade para galgar qualquer candidatura! E será vitorioso!

  • João Cuiabano de nascimento | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 04h38
    5
    8

    Quando Taques se isolou de alguns políticos ele estava pensando no povo e no Estado de Mato Grosso, ao mesmo tempo que, tomava cuidado onde iria por o pé pra não pisar em cobra...

  • JESSICA LOTUFFO | Terça-Feira, 06 de Fevereiro de 2018, 01h13
    9
    6

    Qualquer um ganhara fácil de taques.... taxi só ganha se for por W0..

  • Victor | Segunda-Feira, 05 de Fevereiro de 2018, 23h22
    23
    8

    Se o Percival Muniz sair de vice do Pivetta o Taques já era.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS