26 de Fevereiro de 2020,

Política

A | A

Sexta-Feira, 17 de Janeiro de 2020, 08h:20 | Atualizado:

PÚBLICO E PRIVADO

Prefeito em MT é investigado por "lucrar" R$ 82 mil com venda de ônibus

Antônio Xavir teria adquirido veículo por R$ 18 mil e revendido a prefeitura de Rio Branco por R$ 100 mil


Da Redação

totonho-riobranco.jpg

 

O Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) instaurou um Procedimento Preparatório para apurar denúncia anônima contra o prefeito de Rio Branco (356 km a Oeste de Cuiabá), Antônio Xavier de Araújo (PSC), o Totonho. Ele teria comprado um ônibus no Estado de São Paulo, em 2015,  pelo valor de R$ 18 mil e depois vendeu o  veículo para a prefeitura por R$ 100 mil. Segundo a denúncia, a venda do ônibus para a prefeitura teria sido feito por intermédio de uma empresa.

Para reunir elementos que ajudem na investigação, a Promotoria de Justiça da Comarca de Rio Branco enviou ofício à prefeitura requisitando todos os processos licitatórios e contratos referentes à aquisição do ônibus em 2015.

A compra do ônibus pelo valor de R$ 100 mil foi feita pela prefeitura por meio de um pregão. Agora o Ministério Público quer saber porque três empresas apresentaram proposta de preço concorrendo no Pregão Presencial nº 01/2015 e apenas uma delas se apresentou no julgamento do processo licitatório. 

Na portaria 08/2020, assinada no dia 10 de janeiro, o promotor Emanuel Filartiga Escalante Ribeiro também quer saber qual a necessidade da aquisição do veículo; quais foram as razões que levaram a definir as caracteristicas do bem; e também se  houve um estudo prévio de mercado acerca do preço para se ter parâmetros no processo licitatório.

PREFEITO FOI REELEITO

Antônio Xavier de Araújo, conhecido como Totonho, tentou participar da eleição suplementar para prefeito de Rio Branco realizada em fevereiro de 2011 devido ao afastamento do prefeito eleito em 2008, Antônio Malanezi (PT), que teve o diploma cassado por compra de votos. Porém, às vespéras da eleição,Totonho foi impedido de concorrer devido a liminar que negou efeito suspensivo à decisão de 1ª instância, que havia negado seu registro à candidatura por não possuiur condições de elegibilidade (filiação partidária deveria ter ocorrido por no minimo um ano antes do pleito eleitoral). 

Com seu impedimento, a candidata a vice de Totonho, Neuza Maria de Souza, acabou assumindo a cabeça de chapa e foi eleita prefeita para comandar o muncipio por dois anos até as eleições de 2012. Em 2012, Totonho disputou as eleições pelo PSC para prefeito e venceu com 56,99% dos votos válidos. Em 2016 ele se reelegeu com 54,67% dos votos para mais um mandato, que se encerra em dezembro de 2020.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS