05 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 16h:48 | Atualizado:

CONFUSÃO E AGRESSÃO

Presidente da Fecomércio de MT é afastado do cargo para ser investigado

Hermes Martins é acusado de omitir informações aos conselheiros


Especial para o FOLHAMAX

fecomercio.jpg

 

Em uma tarde de intensa confusão, o conselho de representantes da Fecomércio (Federação do Comércio de Mato Grosso) decidiu afastar o presidente Hermes Martins e o tesoureiro Paulo Sérgio por 180 dias. Eles são acusados de improbidade e ficarão fora do cargo durante investigação.

Com afastamento, quem assume o comando da entidade é João Flávio Barbosa, até então vice-presidente, que fará uma auditoria na entidade. A acusação é de que Hermes e o tesoureiro estejam negando aos conselheiros o acesso aos documentos sobre gastos, contratos e cheques utilizados em suposta lavagem de dinheiro durante o período em que a entidade foi comandada pelo ex-secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf, que chegou a ser preso em 2015 na "Operação Sodoma" e hoje está em liberdade por fazer delação premiada.

O conselho se reuniu de forma extraordinária e dos 15 participantes da reunião, oito decidiram pelo afastamento de Hermes e Paulo. Já outros sete votaram pela permanência deles nos cargos.

A decisão do conselho, que conferiu a João Flávio a condição de novo presidente da Fecomércio, foi marcada por tumulto e denúncia de agressão ao advogado Marilton Casal, que conduziu a formalidade jurídica do ato de posse. O advogado alega que foi empurrado e retirado a força da reunião, o que lhe causou ferimento em uma das mãos e hematoma no tórax.

Porém, um funcionário da entidade, alega ter sido agredido com um chute pelo advogado. Ele, inclusive, apresentou uma marca da agressão em sua costela.

OUTRO LADO

A assessoria da Fecomércio afirma que a reunião que afastou Hermes Martins não tem validade jurídica. Segundo ela, a assembleia feriu o estatuto da entidade, que prevê que para ter validade jurídica, a decisão deve ser apoiada por 1/3 dos conselheiros do Fecomércio – MT, o que não aconteceu.

Além disso, aponta que a decisão pelo afastamento do presidente aconteceu na recepção da entidade, o que também fere as normas estatutárias.

Galeria de Fotos



Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Doralice | Quinta-Feira, 15 de Fevereiro de 2018, 11h26
    0
    0

    QUE VERGONHA ESSE SISTEMA "S"!!! PEDRO NADAF, JANDIR MILAN, ZE GUILHERME QUE ESTA LA HA DECADAS DANDO COBERTURA. VERGONHA, VERGONHA. ONDE GASTAM O DINHEIRO QUE ARRECADARAM? QUANTOS TERRENOS PUBLICOS OCUPAM SEM PAGAR NADA E AINDA COBRAM POR SERVIÇOS PRESTADOS. NINGUEM BRIGA A TOA. ESSE HERMES É TESTA DE FERRO DOS NADAF HA MUITOS ANOS COMO VICE PRESIDENTE. SÓ FALCATRUA. CASO DE POLICIA, MPE, MPF, ETC...

  • said joseph | Quinta-Feira, 15 de Fevereiro de 2018, 09h29
    5
    0

    O sistema Fecomércio, FIEMT é uma confraria de bandidos. Só não enxerga quem não que ver.

  • Comerciário II | Quinta-Feira, 15 de Fevereiro de 2018, 01h34
    3
    1

    Fecomércio em campanha de combate a pirataria e praticando caixa 2 .....??? é isso ..??? Tá ..!!!

  • comerciario | Quinta-Feira, 15 de Fevereiro de 2018, 01h24
    3
    1

    bando de marmanjos”esclarecidos” que em vez de resolverem os fatos na mesa, saem pro tapa... esse Evaldo é bate pau do presidente.... tá mandando mais que o próprio ...’!

  • Wanda | Quinta-Feira, 15 de Fevereiro de 2018, 00h44
    7
    1

    Denuncias velhas + momento de eleição = briga pelo poder

  • Paulo José | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 23h23
    6
    4

    São sinais de mudanças... A verdade é que a FECOMÉRCIO sempre foi presidida por um grupo há quase 35 anos, seu presidente também é responsável pela gestão do SESC e SENAC que são mantidos com recursos federais da união através da arrecadação dos contribuintes de todo o comércio de bens e serviços. E a exemplo do que aconteceu nas empresas públicas muitos recursos foram desviados e ou manipulados. Por conta da inércia dos empresários muitos sindicatos patronais são presididos por pessoas que não são empresários, não tem empresas de fato é quando as tem formalmente, foram criadas especialmente para legalizar, ou seja, são fraudes. Alguns sindicatos inclusive são de gavetas, ou seja, foram montados para eleger e manter um grupo de pessoas manipuladoras no poder, criando suas próprias regras estatutárias com vistas a se protegerem. Com vistas, em alguns anos atrás as coisas começaram a mudar, alguns setores empresariais se organizaram, criaram seus sindicatos e elegeram seus presidentes atuantes no setor, estes com atitudes independentes no conselho passaram a não aceitar e não chancelar as ações do gestor que até então as fazia ao seu Bel querer por ter sindicatos mantidos para esse fim. Causa estranheza sindicatos patronais exercidos por pessoas a frente há muitos anos. Como pensaria os empresários sérios das cidades de TANGARÁ DA SERRA, de BARRA DO GARÇAS, de NORTELÂNDIA, como exemplo. O que fazem ou o que fizeram para o bem do setor empresarial ??? Nada, estão lá unicamente para manter o Grupo e com possíveis suspeitas pelo comportamento de terem também obtidos favores. O vice presidente, também pertencia a esse grupo, mas rebelou-se, em seu lugar como presidente no seu Sindicato foi eleito um empresário do setor supermercadista, agora sim alguém do setor, na qual espera que haverá mudanças.

  • Marcio souza | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 21h35
    8
    1

    Empresários vomos unir nossa classe não vomos pagar as contribuições ali só tem malas não pague

  • SALAS | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 20h22
    2
    0

    QUALQUER INSTITUIÇÃO, QUE DEIXAR A POLITICA PARTIDÁRIA ADENTRAR NELA, VAI OCORRER SEMPRE NISSO AI..ALIÁS ESTE ANO É ANO DE ELEIÇÃO. DAQUI A POUCO, APARECERÁ ALGUÉM DIZENDO QUE ISSO NÃO PASSA DE COINCIDÊNCIA E QUE NÃO HÁ INTERESSES POR TRÁS DE TUDO ISSO. FAZER O QUE NÉ? VAMOS ACREDITAR...KKKKKKKKKKKKKKK.

  • Reginaldo Schinaider | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 20h15
    5
    0

    A roubalheira comecou com o PEDRINHO NADAF e continuou ate hoje coma sua turma. Nao e' so la' mais em todas Federacoes e orgaos subsidiarios .

  • Lauro | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 19h39
    15
    3

    Esse João Flávio não tem empresa , vive do sindicato

  • Almiron | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 19h14
    6
    4

    Issso. É coisa de pobre

  • SERGINHO | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 18h36
    11
    3

    KKKKKKKKKK NINGUEM QUER LAGAR O OSSO, E O JUNIOR VITAMINA NA FILA TBM PARA PEGAR, ESTE HERMAS ACHO QUE NEM COMERCIANTE É MAIS OU TEM EMPRESA DE FACHADA........... NÃO SALVA NIGUEM MAIS.

  • vera | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 18h10
    10
    7

    Já era sem tempo, saiu tarde. Chega de tantas injustiças. Agora é investigar afundo. Parabéns ao novo Presidente. O sr. terá uma grande batalha para investigar tudo.

  • Vera | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 17h56
    8
    4

    Já era sem tempo, saiu tarde. Chega de tantas injustiças. Agora é investigar afundo. Parabéns ao novo Presidente. O sr terá uma grande batalha para investigar tudo.

  • Edivaldo da silva santos | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 17h44
    21
    7

    Ta vendo só falta eles falarem que o LULA que fez a Baixaria chegar no meio dos Ricos.ai quem menos anda voa. Ê uma quadrilha né.

  • vando | Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018, 17h14
    21
    2

    que baxaria, a robalheira esta infiltrada em todas as áreas, até no comércio, que e controlado a sete chaves, imagine então nos órgãos público, que Deus nos protejam.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS