13 de Dezembro de 2019,

Política

A | A

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2014, 15h:39 | Atualizado:

MUDANÇAS NO PAIAGUÁS

Primeira-dama deixa Governo e dá sinais da saída de Silval

Roseli vai cumprir função institucional e descarta candidatura


Da Redação

roseli-silval.jpg

 Primeira-dama comandou área social de MT nos últimos quatro anos

A primeira dama de Mato Grosso, Roseli Barbosa, oficializou a entrega do cargo de Secretaria de Trabalho e Assistência Social na tarde desta sexta-feira (28). Antes de entregar o cargo, ela apresentou dados ao governador Silval Barbosa (PMDB) referentes aos programas sociais que manteve nos últimos anos como programa Panela Cheia que funciona integrado com o programa federal de transferência de renda Bolsa Família, um auxílio para compra de alimentos direcionado para famílias de baixa renda do Estado

A meta de Roseli Barbosa é se dedicar a função institucional de primeira dama e acompanhar a execução dos programas sociais de Mato Grosso. Embora seja filiada ao PMDB, Roseli Barbosa descarta a possibilidade de ser candidata a algum cargo eletivo em outubro em qualquer hipótese, mesmo que o governador deixe o cargo. O ato de exoneração a pedido já foi encaminhado na tarde de hoje a Casa Civil e vai ser publicado na próxima edição do Diário Oficial do Estado (DOE). O substituto imediato é o secretário adjunto Jean Estevan Oliveira. 

Ao mesmo tempo em que conduz mudanças no primeiro escalão, o governador Silval Barbosa (PMDB) começa a avaliar a possibilidade de ser candidato ao Senado. Embora tenha adotado o discurso de que prefere permanecer à frente do Palácio Paiaguás, o peemedebista tem em mãos pesquisas quantitativas e qualitativas que apontam ser a eleição o momento ideal para esclarecer a opinião pública a respeito da importância das obras da Copa do Mundo, em que pese os atrasos já visíveis, em especial o VLT (Veículo Leve Sobre Trilho). 

Silval Barbosa tem evitado dar detalhes do seu futuro político mostrando indefinição. Ele deseja ser candidato a senador desde o senador Blairo Maggi (PR) seja convencido de disputar o Palácio Paiaguás.

A exoneração da primeira-dama foi confirmada há pouco pelo secretário estadual de Comunicação Social, jornalista Carlos Rayel. Em relação a desincomptailização do governador Silval Barbosa, ele disse que ainda não há nenhuma definição.

Logo após FOLHAMAX revelar a demissão, a secretária divulgou uma nota pública oficializando sua saída da Setas. Veja a íntegra:

Nos últimos quatro anos mais de 100 mil mato-grossenses deixaram de viver abaixo da linha da extrema pobreza e cerca de 30 mil cidadãos tiveram acesso a cursos de qualificação profissional para buscar novas oportunidades no mercado de trabalho, por meio dos programas desenvolvidos pelo Governo do Estado. Os dados de desenvolvimento social em Mato Grosso mostram que estamos no caminho certo. 

Em 2010, assumi a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT) com muitos desafios e também muita obstinação para fazer mais pelas famílias mato-grossenses. Foram anos de trabalho e dedicação, focados, principalmente, naquelas que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social, com atenção especial às nossas crianças e idosos. 

Com o auxílio de uma equipe preparada e de muitos parceiros conseguimos inserir milhares de famílias nos programas socioassitenciais, que vão desde transferência de renda; passando pela qualificação; acesso facilitado ao crédito a juro zero; entre outras iniciativas voltadas à geração de emprego e renda e combate à extrema pobreza. 

Hoje, com a certeza de que a Setas-MT possui a estrutura necessária e profissionais preparados para dar andamento à construção de políticas públicas em prol da prosperidade dos cidadãos de nosso Estado, anuncio minha saída do cargo de secretária de Estado de Trabalho e Assistência Social para me dedicar à atividades particulares e à função de primeira-dama, ainda mais próxima do governador Silval Barbosa. 

Sigo em frente com total confiança de que os programas desenvolvidos pela Setas-MT, importante Pasta do Poder Executivo estadual que conta com quatro Secretarias Adjuntas (Assistência Social; Trabalho e Emprego, Cidadadania e Assuntos Comunitários) seguirão de forma eficaz na gestão do secretário Jean Estevan Campos Oliveira e sua dedicada equipe. 

A experiência de acompanhar de perto a realidade dos lares mato-grossenses é um aprendizado que sempre carregarei comigo. Neste período, também tive a oportunidade de ocupar funções de articulação no cenário nacional, como vice-presidente do Fórum Nacional dos Secretários de Estado de Assistência Social (Região Centro-Oeste) e como titular da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) - onde União, Estados e Municípios deliberam e pactuam sobre políticas públicas e a destinação de recursos para o fortalecimento do Sistema Único da Assistência Social (Suas). 

Nessa nova perspectiva, ao lado do meu companheiro e governador, Silval Barbosa, continuarei na defesa do desenvolvimento social de Mato Grosso. Agradeço a todos os cidadãos; segmentos sociais; apoiadores; amigos de jornada, que acreditaram no trabalho da Setas-MT e que estiveram ao meu lado durante esses quatro anos de trabalho. O trabalho continua, assim como meu comprometimento com o desenvolvimento social do Estado de Mato Grosso.

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • ELEITOR | Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2014, 21h21
    0
    0

    Quem leva para o governo? Blairo ou Taques. E para o senado? Silval ou Jaime.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS