09 de Julho de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 19h:51 | Atualizado:

DELAÇÃO SOB SIGILO

Riva pede para suspender depoimento em CPI e adianta que ficará em silêncio

Ex-deputado relata que acordo prevê sigilo da delação até decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso; CPI decide manter oitiva

cpipaleto-riva.jpg

 

A defesa do ex-deputado estadual José Riva ingressou com uma petição junto à CPI do Paletó, na Câmara de Cuiabá, para suspender seu depoimento, marcado para a próxima quarta-feira (3). O ex-presidente da Assembleia alega que não pode fornecer informações pertinentes ao interesse da Comissão Parlamentar de Inquérito aberta para investigar o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), porque seu acordo de colaboração premiada ainda encontra-se sob sigilo no Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

O pedido foi feito numa sessão por videoconferência, em que participaram o ex-deputado, os advogados Almino Afonso e Gustavo Lisboa, além dos vereadores Marcelo Bussiki e Toninho de Souza, presidente e relator da CPI, respectivamente. O terceiro membro da comissão, vereador Joelson Fernandes, não se fez presente.

“O peticionante, desde já, requer seja a sessão designada para dia 03 de junho de 2020 suspensa até que decisão judicial posterior autorize ou informe as diretrizes legais para realização do ato”, diz trecho do documento.

Caso o pedido seja negado, a defesa do ex-deputado informou que ele ficará em silêncio, respeitando o sigilo do acordo de delação já homologado pelo desembargador Marcos Machado, do Tribunal de Justiça. “Caso V.Sas., entendam por manter a oitiva, o peticionante antecipadamente informa que em respeito as obrigações assumidas em sua Colaboração Premiada, exercerá seu direito ao silêncio conforme autoriza a Jurisprudência Pacífica dos Tribunais Estaduais e Superiores e que permite inclusive a escusa na assinatura do respectivo termo de compromisso com a verdade”, completa o pedido.

A defesa de Riva ainda solicitou que a oitiva seja realizada por videoconferência em razão da pandemia do novo coronavírus. A alegação é de que o ex-presidente da Assembleia Legislativa pertence ao grupo de risco e a recomendação é de que se mantenha em isolamento social.

PEDIDO NEGADO

O presidente da CPI decidiu manter o depoimento. Segundo ele, o depoimento do ex-parlamentar é considerado importante para a comissão esclarecer se o prefeito Emanuel Pinheiro recebia propina enquanto era deputado estadual.

“Tivemos certa dificuldade em intimar o ex-deputado José Riva, mas ele vai depor. Nossa expectativa é de que ele traga mais clareza sobre como eram feitos os pagamentos de mensalinho, que ele já declarou. E se, além da vez filmada, Emanuel já teria recebido outros valores”, disse.

 

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Brenda | Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 08h51
    0
    0

    Digite o texto aquiDesde quando um ladrão de dinheiro público entrega outro, só se fosse na porrada, caso contrario, é issoque esta acontecendo, se recusa a falar, tem que ser MT, aqui a corrupção compensa, o crime compensa, È por isso que Emanuel faz a farra aqui, Mas não se reelege nem para coveiro.

  • Ggm | Terça-Feira, 02 de Junho de 2020, 08h15
    0
    0

    Em um país sério ele não participaria de CPI, já estaria preso. E os bens todos confiscado.

  • Crítico | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 21h27
    5
    0

    Esse cidadão DEVERIA estar no presídio. Ficar em silêncio pra defender seus "amiguinhos" SACANAGEM

  • BARNABÉ | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 20h06
    5
    0

    O prefeito vai terminar o mandato e a CPI não sai, vôte!!!!

  • BARNABÉ | Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 20h00
    5
    0

    Famosa delação MEIA BOCA...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS