07 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h:10 | Atualizado:

REFORMA ADMINISTRATIVA

TCE corta cargos e reduz gastos com salários em MT

Corte de Contas está próxima de atingir limites da Lei de Responsabilidade Fiscal

tce-fachada.jpg

 

Desde que tomou posse como presidente do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) para o biênio 2020/2021, em dezembro do ano passado, o conselheiro Guilherme Antonio Maluf anunciou uma reforma administrativa com o enxugamento de despesas na Corte de Contas. 

O principal objetivo da reforma administrativa é enquadrar novamente o órgão de controle externo na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que limita o máximo de gastos com pessoal.

No TCE-MT, o limite prudencial é 1,17% da receita corrente líquida. Após intenso trabalho de redução da despesa com pessoal, a Corte de Contas passou de 1,36%, dados do segundo quadrimestre de 2019, para 1,26% no terceiro quadrimestre de 2019 e para 1,20% no primeiro quadrimestre deste ano.

“Estabelecemos com uma das prioridades da nossa gestão na presidência da Corte de Contas, promover uma reforma administrativa, com enxugamento de despesas e gastos com pessoal. O Tribunal de Contas de Mato Grosso não pode fugir à responsabilidade de ajustar suas contas, como qualquer outro fiscalizado. A reforma administrativa está em andamento e já temos resultados extremamente positivos em 6 meses de gestão”, avaliou o conselheiro Guilherme Antonio Maluf. 

De acordo com o presidente, o TCE-MT está trabalhando para até o final do ano, estar enquadrado na LRF no que tange aos gastos com pessoal. “O Tribunal de Contas ainda vai avançar muito nessa reforma administrativa. Trabalhamos de forma direta na redução da despesa interna e também acompanhando o controle da arrecadação do Estado. Estamos trabalhando para que o TCE-MT esteja no limite prudencial até o final do ano”, comentou o conselheiro.  

REFORMA ADMINISTRATIVA

Assim que assumiu a presidência do TCE-MT, o conselheiro Guilherme Antonio Maluf formou equipe de transição e juntamente com a equipe do presidente anterior, conselheiro Gonçalo Domingos de Campos Neto, já tomaram algumas medidas de contenção de gastos para reduzir a despesa com pessoal. A equipe montou um grupo de trabalho para fazer a reforma administrativa, que está em andamento e após a sua conclusão, será validada pelo Pleno.

Mesmo antes de concluir o trabalho, os efeitos práticos já podem ser vistos nos números do primeiro quadrimestre, com a redução de cargos e das remunerações. Além do enxugamento interno, a Corte de Contas também trabalha de forma indireta no incremento da arrecadação do Estado, com o controle rígido da arrecadação, principalmente sobre as exportações. Neste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) negou agravo interposto pelo Governo do Estado, que pediu a suspensão da decisão que determinou o encaminhamento de 2.237 contribuintes referentes às exportações realizadas entre 2013 a 2016 à Corte de Contas, que movimentaram mais de E$ 172,3 bilhões. 

Diante disso, em abril deste ano, o TCE-MT encaminhou ofício à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), solicitando dados referentes às exportações ocorridas no Estado entre os anos de 2013 a 2020. Esse trabalho inibe as sonegações e aumenta a arrecadação. A Corte de Contas se organiza também para fazer um acompanhamento a respeito da governança da arrecadação.

 



Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Cuibania | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 14h11
    0
    0

    A raposa cuidando do galinheiro

  • Os Matogrossenses | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 14h03
    0
    0

    Parabéns Dr Guilherme Maluf, está fazendo corte de despesas dentro do Tribunal de Contas do Estado, é isso que nós Matogrossenses queremos da sua pessoa frente a esse órgão fiscalizador, vocês precisam ser exemplos para depois cobrar dos Gestores públicos, é preciso exonerar todos os funcionários comissionados e contratados que são da confiança destes conselheiros afastados, e implantar ponto eletrônico para todos os funcionários sem exceção de ninguém, somos todos iguais, é preciso cortar diárias, coofee break, viagens, palestras, decoração desnecessária nos eventos técnicos, quando participei de um evento do Tribunal em um município achei que estivesse em um casamento, nosso dinheiro público não é para isso, fica a dica Dr Guilherme, confio que fará uma excelente administração pública com muita transparência

  • Eng° Roberto | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 11h43
    6
    1

    Duvido que o orgão não tem uma amante de deputado empregada ...tudo isso é pra imbecil ler mesmo e acreditar nessas boas intenções...os altos cargos DAS são tudo troca de favores , por exemplo , esposa traida de Wison Santos foi nomeada ai , Sra Adriana, como ela tem um monte troca de favores ....esse corrupto presidindo a casa , onde já se viu , alias esse orgão provadamente não passa de um grande balcão de negócios , o sonho de consumo de aposentadoria para ex deputados....por mim já tinha que ter acabado , um dos quarteirões mais caros do mundo ...remanejava os bons técnicos de carreira para outras secretarias e acabava essa órgão ... como não ser um grande balcão de negócios , um orgão que com mesma toda roubalheira aprovou com louvor as contas de Silva Barbosa e Pedro Taques. esse dois roubaram em todos os setores do estado , todos tinham um facilitador...roubaram que sairão com os bolsos cheios onde não vão precisar trabalhar nunca mais ...grandes coisas Silval esta livre leve e solto , devolveu 70 milhões , roubou 1 bilhão....contas todas aprovadas pelo TCE.....

  • amante | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 11h03
    4
    0

    devolve meu cargo

  • JUNIOR DO PEDRA | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h59
    6
    1

    A Q PONTO CHEGAMO..... MALUF FALANO EM REDUZIR GASTO. É MTA HIPOCRESIA

  • Alaide | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h53
    5
    1

    Esse é o maior RATO de MT

  • Léo Dias | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h49
    10
    0

    Quero ver se vai enxugar os favores políticos, amantes de deputados e amigos que lá estão empregados com altos salários para não fazer nada. TOU CHEGANDO CUIABÁ!

  • Sônia Abraão | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h46
    9
    1

    começou cortando o salário da amante (risos)

  • Geraldinho | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h45
    8
    1

    Os salários mais absurdos do estado estão no TCE. Nunca vi mais cara de pau que esse Maluf

  • Fabio | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h43
    10
    1

    Reduz seu salário e abre mão da sua verba indenizatória oh babaca

  • Pacufrito | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h34
    9
    1

    Isto tudo para justificar a verba indenizatória, só malandro, mas também vai esperar o que deste presidente do TCE que é investigado por desvio de dinheiro público. É UMA PIADA.

  • alexandre | Segunda-Feira, 06 de Julho de 2020, 10h29
    11
    1

    E os proventos de 90 e 70 mil , com verba indenizatória ?

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS