Política Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 13h:02 | Atualizado:

Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 13h:02 | Atualizado:

INVASÃO À CASA DO PREFEITO

Vereador desiste de cassação de colega em Cuiabá; Câmara analisa pedido de sindicato

Renivaldo Nascimento nega articulação da base de Emanuel para cassar Abílio Junior

TARLEY CARVALHO
Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

abiliorenivaldo.jpg

 

O vereador por Cuiabá, Renivaldo Nascimento (PSDB) desistiu de pedir a instauração de processo contra seu colega de Parlamento, o vereador Abílio Júnior (PSC), por quebra de decoro. O motivo de sua decisão é de que já há um pedido semelhante impetrado na Casa pelo Sindicato dos Agentes de Fiscalização do Município de Cuiabá (Sindasfimc). “Não vou [apresentar] porque já tem um pedido, né?! O pedido vai ser lido hoje e aí vamos esperar a Comissão de Ética analisar se houve exagero [por parte de Abílio] ou não”, informou o parlamentar à reportagem do FOLHAMAX.

Questionado se há alguma articulação por parte da base do prefeito para garantir a cassação de Abílio, Renivaldo negou a possibilidade e afirmou que estas informações são boatos de bastidores e que não há a menor movimentação para isso. O tucano também afirmou que não sabe qual será o desenrolar do processo e que caberá à Comissão de Ética fazer esta primeira análise, assim como ouvir o parlamentar.

Na tribuna, durante sessão ordinária nesta manhã de terça-feira (14), Renivaldo defendeu que, apesar de ser papel do vereador fiscalizar ações do Executivo, é preciso ter limites. “Não é propositivo chutar porta de órgão público. Não é propositivo chegar lá abrindo computador, impondo lá “olha, eu sou vereador, posso isso”, o que é isso, gente? O respeito é bom! Tem que ter! E outra coisa, o vereador tem que responder, ele é autoridade policial. Esta casa é um Poder Público Municipal. Eu espero, senhor presidente, que estes fatos sejam apurados, e que venha à tona toda a verdade. E, vereador Abílio, por favor, o senhor tem que ler o Regimento Interno e a Lei Orgânica pra saber até onde são os seus limites. O senhor é um grande vereador, mas tem que ter limite”, provocou.

Todo o imbróglio começou depois que Abílio gravou um vídeo, em frente à casa do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) denunciando supostas irregularidades nas obras de reforma da residência. Na ocasião, um segurança da primeira-dama, Márcia Pinheiro, Jonaí dos Santos, acabou tomando o aparelho do vereador e foi à Delegacia de Polícia (DP) para denunciar o vereador por invasão.

Abílio, por sua vez, chamou a polícia e esta rastreou o celular, que estava em movimento, parando na 1ª DP, Centro de Cuiabá. Lá, o vereador registrou Boletim de Ocorrências contra Jonaí por roubo.

Com toda a polêmica, o vereador afirmou que chegou a procurar a fiscalização do Município, para que a obra do prefeito fosse fiscalizada, pois, segundo ele, o tipo de reforma que vinha sendo feita precisa de autorização pública para tal. Apesar da tal procura, Abílio afirma que os fiscais não cumpriram com seu papel e não foram fiscalizar a obra.

O Sindfasfimc, então, emitiu uma nota pública acusando o vereador de faltar com a verdade e fazer uma manifestação infundada, ilegal e imoral contra a classe dos fiscais. Além disso, a organização afirmou ainda que Abílio age com sensacionalismo e prefere não se informar. Segundo a entidade, a casa já havia sido vistoriada e nenhuma irregularidade havia sido encontrada.

E mais, o Sindfasfimc ainda acusa o vereador de tentar fazer com que os fiscais entrassem no carro junto com ele, para irem juntos à casa do prefeito, o que não foi atendido pelos servidores.

Abílio, por sua vez, alegou que o assinante da nota, Paulo Henrique de Figueiredo, é irmão do secretário Municipal de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo, e suplente de vereador. Além disso, Abílio afirmou que Paulo já assumiu o mandato por um mês e que apresentou um projeto de verba indenizatória para fiscais e reajuste salarial, com plano de carreira. Segundo ele, não faria acusação contra o fiscal, mas acha estranho o fato de, até agora, o alvará não ter aparecido.

Renivaldo, ao se posicionar, cobrou que o presidente da Câmara Municipal, vereador Misael Galvão (PSB) apurasse o fato, uma vez que Abílio não é fiscal e, portanto, não poderia fazer tal ato.

Sobre seu colega, o social-cristão afirmou que, caso Renivaldo entrasse mesmo com o pedido, ensinaria a ele o princípio de quebra de impessoalidade.

 





Postar um novo comentário





Comentários (4)

  • BOLSONARO2022

    Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 16h51
  • Paletó vai cair e vão todos juntos ... escrevem ai ! Ele não ganha mais nem pra presidente de bairro e perde o foro, e vai fazer como popó, delatar todos.
    0
    0



  • JOSE NILDO

    Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 16h13
  • FISCAL DA PREFEITURA KKK SÓ SERVE PARA VER O QUE NÃO EXISTE....FISCALIZAR CASA DO HOMEM DO PALETO KKK É RUIM KKK
    1
    0



  • F?bio Lima

    Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 15h27
  • Na casa dos horrores todo mundo tem o telhado de vidro é cada um mais sujo do que o outro.
    2
    0



  • Degas

    Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 13h33
  • Os agentes estão a mando do Paletó!!
    5
    1









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet