Cidades Terça-Feira, 09 de Julho de 2024, 20h:59 | Atualizado:

Terça-Feira, 09 de Julho de 2024, 20h:59 | Atualizado:

CASO RENATO NERY

Advogado morto não relatou ameaças em denúncia contra colega na OAB-MT

Nery foi assassinado na porta do escritório na última sexta

LEONARDO HEITOR
Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

renato gomes nery, baleado cuiaba.jpg

 

A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB-MT), Gisela Alves Cardoso, afirmou durante entrevista ao Jornal do Meio Dia, nesta terça-feira (9), que não houve omissão da entidade no caso da morte do advogado Renato Gomes Nery. Segundo ela, a representação proposta pelo jurista, assassinado na última semana, efetuou os trâmites previstos e em momento algum, ele relatou ser alvo de ameaças.

Morto no último sábado (6), após ter sido alvo de um atentado a tiros na manhã de sexta-feira (5), o advogado Renato Gomes Nery fez uma representação junto à Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB-MT), onde pede a investigação de um colega de profissão. No documento, ele cita uma disputa judicial referente a uma propriedade rural de mais de 12 mil hectares, que tramita há 40 anos, e também lembra a excução do também advogado Roberto Zampieri, ocorrida em dezembro de 2023, em circunstâncias semelhantes.

A representação disciplinar formulada por Renato Gomes Nery pedia uma investigação contra o também advogado Antônio João de Carvalho Júnior, onde narrava uma disputa judicial que já dura 40 anos. No documento, o jurista morto no último sábado (6) aponta que o imbróglio se trata de uma ação de reintegração de posse, proposta por uma mulher contra o cliente do seu colega de profissão.

Na denúncia, Renato Nery cita dezenas de pessoas de fazerem parte de um complô para tomar área na cidade de Novo São Joaquim. São destacados nomes de desembargadores, juízes, advogados, filhos de magistrados, empresários do agronegócio, além de um ex-secretário da Casa Civil no Governo de Mato Grosso que hoje atua como advogado em Brasília (DF).

O documento, de 26 páginas, foi encaminhado para a presidente da OAB-MT, Gisela Alves Cardoso, três semanas antes do assassinato. Na representação, Renato Gomes Nery explica que foi contratado para atuar no caso em outubro de 1988, quando o processo tramitava em Barra do Garças. Gisela Alves Cardoso, no entanto, relatou que o documento, na verdade, foi apresentado no dia 25 de junho.

“O email foi enviado no dia 25, diretamente para o Tribunal de Ética e Disciplina, não tendo sido encaminhado para a presidência ou diretoria. Então, tratava-se de uma representação disciplinar e estava no órgão competente. O protocolo foi gerado no dia 26 e foi feito em três partes, já que a documentação possui quase 8 mil páginas. No dia 27 e 28, foram juntados mais documentos e então, no dia 1º, foi concluído e enviado para despacho preliminar na presidência ou vice-presidência, quando o processo foi considerado apto a continuar tramitando”, afirmou a presidente da OAB-MT.

A representação apresentada pelo advogado morto aponta que a área em questão possuía 12.413 hectares, na região do Projeto Itaquerê e, desde então, se iniciou uma disputa que envolveu supostas irregularidades em assinaturas, invasões de terra e ocupação por posseiros. Renato Gomes Nery narrou, no documento, que chegou a receber uma parcela de 2.579 hectares da propriedade, para pagamento de seus honorários, em novembro de 2001. A presidente da OAB-MT, no entanto, afirmou que não houve nenhum pedido de proteção por parte do jurista.

“Não houve, por parte do Renato Nery, qualquer pedido de proteção ou sequer alegações de ameaças. Conversei com ele duas ou três semanas antes, em um restaurante, e em momento algum, seja no documento ou pessoalmente, que ele sofria algum tipo de ameaça. As imagens mesmo apontam que a atitude dele não era de alguém que vinha sofrendo algum tipo de ameaça”, relatou.

O advogado Renato Gomes Nery, ex-presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), morreu na madrugada deste sábado (6) após sofrer uma tentativa de homicídio na manhã desta sexta-feira (5) em frente ao seu escritório na Avenida Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá. Ele tinha 72 anos de idade e foi alvejado ao menos por dois tiros dos sete disparados por dois homens que estavam na calçada da avenida. Segundo a presidente da OAB-MT, a investigação está tramitando em sigilo, mas se forem detectadas suspeitas de crimes cometidos, a Ordem irá atuar junto as autoridades policiais.

“A representação está em sigilo e, uma vez detectadas situações em que exista indícios de fraudes e crimes, a OAB-MT irá buscar todos os esclarecimentos, esteja envolvido quem quer que seja. A Ordem não vai se calar enquanto não estiver devidamente esclarecido o assassinato do Renato Nery e o que mais estiver envolvido neste fato”, destacou.





Postar um novo comentário





Comentários (11)

  • Joaquim

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 09h16
  • OAB omissa e TJMT onde o tráfego de influência prevalece agindo como tribunal do crime.
    5
    0



  • CNJ E STJ NELES.

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 08h43
  • O CNJ e o STJ tem ser acionado, já que a representação é clara ao imputar crimes cometidos por membros da corte e seus filhos "genios". Está faltando pulso da Presidente da OAB. Hoje a vitima desses criminosos que estão no TJMT foi o Renato Nery, amanhã pode ser qualquer outro, inclusive, a atual presidente. Vamos Gisele, encaminha tudo para o CNJ e STJ. Isso é urgente.
    5
    0



  • carlos

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 08h13
  • Ao comentário do CUIDADO, foi vc quem assassinou a língua portuguesa.
    0
    1



  • Galileu

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 06h43
  • Está demorando este jornal dizer que o suspeito de mandar matar o Adv. Renato é o Bolsonaro. Já estão falando que isso tem haver com o Agronegócio. Então está a um passo para acusar o Bolsonaro.
    5
    9



  • Cuidado

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 04h07
  • No caso do outro Adevogado a policia sai prendendo qual quer um q teve processo judicial com o Adevogado. Agora Policia Civel,mostra q todos sao difetrnte perante a lei e todos q o Adevogado assacinado denucio faz o mesmo pooem Algema no praco e escacara na impresa q todos sao iguais perante as leis. Como o caso do Juiz LELPOLDINO DO AMARAL Q ATE HOHE NAO FICO CLARO QUEM MANDOU,SUPOSTA ME TE SO QUEM MATOU.
    6
    2



  • Carlos

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 00h45
  • OAB de Instagram , tenho medo de sair de casa e morrer no exercício da profissão. Omissão em prol da panelinha .
    9
    0



  • Tá bom

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 00h39
  • Esse é o grupo da farra e resenhas de fazer de contas quem é esse povo que não age corretamente em defesa do colega ex presidente da ordem
    8
    0



  • Marco Aurélio de Oliveira

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 00h37
  • Pelo número de pág não tem como negar que é sério mesmo kkkkk porque até agora não tem sequer relator de processo. A OAB MT tem campanha em pleno vapor e não quer ser culpada por omissão grande abraço
    5
    0



  • Mixtense

    Terça-Feira, 09 de Julho de 2024, 21h51
  • A OAB seccional MT, tem que ser investigada. Há anos é notório que ali virou balcão de negócios e interesse. O MPF e PF de olhos fechados. O que causa estranhesa, momento algum após o acontecido, a Dra Gisele, não relatou o fato do Dr Renato Nery, ter encaminhado a suposta denúncia ao TED OAB/MT.
    16
    0



  • Mixtense

    Terça-Feira, 09 de Julho de 2024, 21h46
  • Essa OAB seccional MT, tem que passar urgentemente por uma investigação. Há anos é notório que ali virou balcão de negócios, e o MPF e PF de olhos fechados. E o que
    12
    0



  • Gordo

    Terça-Feira, 09 de Julho de 2024, 21h11
  • Só advogado mafioso. Vooote
    12
    0









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet