14 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 10h:45 | Atualizado:

FORÇA DAS ÁGUAS

Cinco barragens se rompem em MT

barragemrompida.jpeg

 

Cinco barragens em São José do Rio Claro, a 325 km de Cuiabá, se romperam no final de semana, após o grande volume de chuva na região.

Técnicos da Defesa Civil e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) sobrevoaram a área que foi alagada depois do rompimento de para avaliar os estragos causados.

Segundo o secretário-adjunto de Proteção e Defesa Civil, Abadio José da Cunha Junior, o incidente ocorreu em uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH).

"O rompimento começou nessa primeira barragem, que não suportou o volume de água da chuva e provocou uma reação em cadeia, rompendo mais quatro barragens", explicou.

O nível da água ficou mais de 30 centímetros acima do normal. No entanto, não houve vítimas e a situação está controlada, de acordo com o coronel.

“A água foi absorvida pelo Rio Arinos e não há mais riscos. As equipes agora fazem o levantamento dos prejuízos”, disse.

Os prejuízos ambientais ainda serão contabilizados por técnicos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), que irão percorrer a área.

A Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Ager) vai verificar de forma mais precisa se houve outro fator técnico que contribuiu para o rompimento, além do volume de água.

O coronel alerta para as chuvas que ainda devem ocorrer até o final de março e que, qualquer risco de acidente, deve ser informado à Defesa Civil Estadual pelo número de emergência, o 199.

Uma das fazendas atingidas foi a Agromar, de propriedade do Grupo Bom Futuro. Em nota divulgada na segunda-feira (5), o grupo afirmou que o rompimento ocorreu em uma propriedade vizinha. O problema causou a queda de parte do aterro e da ponte que davam acesso à fazenda Agromar, a deixando isolada.

Além da ponte, um reservatório da fazenda foi atingido e teve parte da barragem rompida, causando inundação na casa de máquinas.



Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Nelson | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 13h14
    8
    2

    Barragem não rompe por causa do volume da água e sim por erros no projeto além da falha dos técnicos capacitados para analisarem o licenciamento. Com certeza os responsáveis analisaram nas coxas devido aos proprietários serem pessoas influentes na política de Mato Grosso. Ao menos 25 barragens espalhadas por oito Estado brasileiros estão com estrutura comprometida e precisam de reparos para evitar danos em possíveis acidentes. Isso foi constatado pela Agência Nacional das Águas depois do desastre da SAMARCO em Mariana-MG. Pelo jeito a agência não chegou em Mato Grosso onde controem barragens em solos hidromórficos ou seja solo podre.

  • Ademar Adams | Quarta-Feira, 07 de Fevereiro de 2018, 11h39
    18
    1

    Os leitores continuam sem saber em qual rio estão localizadas as barragens....

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS