22 de Novembro de 2019,

Cidades

A | A

Sexta-Feira, 15 de Julho de 2016, 21h:30 | Atualizado:

Creci-MT repudia o “App do Imóvel”

O site da revista Exame, de 13 de julho de 2016 e a matéria do programa Bom dia Brasil (rede globo/São Paulo), nesta manhã (15) trouxeram a reportagem sobre “mercado imobiliário e o app, que quer ser o Tinder da venda de imóveis”, matérias em que os corretores de imóveis e imobiliárias são colocados como dispensáveis nas transações e a figura do advogado se tornando essencial na negociação.

O Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Mato Grosso – 19ª Região repudia a criação dessa ferramenta e o conteúdo das reportagens e faz as seguintes considerações:

O advento da tecnologia chegou ao setor imobiliário para trazer a agilidade e praticidade, para somar e não para substituir o trabalho dos corretores de imóveis e imobiliárias, pois se assim fosse a profissão jamais teria sido regulamentada.

Hoje os corretores de imóveis se tornaram profissionais regulamentados, gestores de negócios e conhecem todos os trâmites de um negócio seguro, além de estarem preparados para atender da melhor forma possível todos os tipos de clientes. As matérias não citam em nenhum momento a necessidade e obrigatoriedade do profissional, este que fazem a economia girar e proporciona a seguridade nas transações imobiliárias.

Alertamos ainda que O Código Civil brasileiro determina que o corretor imobiliário seja a figura que responde por perdas e danos de compradores e vendedores de imóveis.

Em uma transação sem corretor, se houver algum problema de documentação, os dois precisam se resolver sozinhos ou somente com a ajuda de advogados, como afirma o presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Mato Grosso, Benedito Odário. “Dadas às considerações citadas, repudiamos esta ferramenta, como forma de negociação, a profissão de corretor de imóveis é devidamente regulamentada pela Lei 6.530 e deve ser respeitada”.

OUTRO LADO

Em nota, o aplicativo negou agir como intermediário em negociações, ou cobrar taxas de serviços. Diz ainda que já passou por fiscalização e teve atuação aprovada pelo Creci de São Paulo.

Íntegra da nota:

O APP do Imóvel solicita direito de resposta referente à matéria publicada no dia 15 de Julho de 2016, 21h:30, sob o título “Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Mato Grosso repudia o “App do Imóvel”, assinada pela redação. O conteúdo pode ser considerado tendencioso, pois em nenhum parágrafo há a versão do aplicativo. O App do Imóvel não faz intermediações e não cobra taxas ou serviços. Inclusive, o aplicativo já foi fiscalizado pelo CRECI-SP, após reclamações de corretores insatisfeitos com o aplicativo. Conforme fiscalização 481 e auto de fiscalização número 2016/093764‏, o App do Imóvel foi classificado como inovador e inteligente, capaz de conectar pessoas com interesses recíprocos para que possam realizar negócios sem intermediários. A lei não impede que particulares façam negócios sem intermediários, tanto é que essa é uma prática comum.

O App do Imóvel é um aplicativo que tem o objetivo de reduzir ou eliminar as taxas da compra, venda e troca de imóveis entre particulares, estimulando um setor que enfrenta dificuldades em meio a situação político-econômica do País. Segundo o SECOVI-SP, a venda de imóveis novos recuou 50,7% em maio só em São Paulo. Isso é bom para o particular, público-alvo do aplicativo, que poderá negociar com outro interessado um valor bem mais em conta que a comissão de 6% exigida pelas imobiliárias de um bem que, muitas vezes, a pessoa demorou anos para adquirir. Os atuais modelos de compra, venda e troca de imóveis no Brasil estão tão sucateados que o principal concorrente dos corretores e imobiliárias acabam sendo porteiros de prédios que muitas vezes fazem a indicação.

Lamentamos que alguns intermediadores insatisfeitos publiquem afirmações levianas para amedrontar e desencorajar pessoas a realizar negócios sem intermediários. A alegação, por exemplo, de que as certidões eram difíceis de tirar, já ficou para trás. Atualmente, a maioria é obtida online e de forma gratuita. E, ainda assim, é possível que o particular contrate o serviço de empresas terceirizadas para lhe prestar este serviço que é, inclusive, utilizado por corretores de imóveis. 

Em nenhum momento o App do Imóvel dispensa a consulta de profissionais capacitados para os trâmites burocráticos necessários para a efetuação de compra, venda ou troca de imóvel. Pelo contrário, recomenda aos usuários que, assim como as imobiliárias possuem seus advogados contratados para dar toda segurança jurídica, os particulares utilizem o mesmo procedimento de segurança: consultem seu advogado de confiança ou corretor. Isso fica a critério do particular. Afinal, todos os trâmites legais para a aquisição do imóvel vão continuar acontecendo, até porque a compra, venda ou troca de imóveis passa por regulamentações, como as certidões digitais, exigidas por Lei, obtidas por empresas terceirizadas que prestam este serviço, inclusive para corretores de imóveis.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Fernando | Quinta-Feira, 03 de Novembro de 2016, 21h19
    0
    0

    Anda de Uber agora seus hipócritas!!!

  • Fernando | Quinta-Feira, 03 de Novembro de 2016, 21h12
    0
    0

    Anda de Uber agora seus hipócritas!!!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS