Cidades Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 12h:40 | Atualizado:

Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 12h:40 | Atualizado:

Notícia

Escolas podem solicitar verba emergencial em MT

 

Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

Seis escolas estaduais que solicitaram recursos da verba emergencial na Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em 2019 já tiveram o recurso depositado em conta e outras 21 estão em análise e aguardam a liberação. O recurso é destinado às escolas estaduais, assessorias pedagógicas e Centros de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação (Cefapros) para serviços emergenciais de manutenção e reparos da infraestrutura, no limite máximo de R$ 64,4 mil.

A EE Tancredo de Almeida Neves, localizada no bairro Jardim Leblon, em Cuiabá, foi uma das escolas contempladas com a verba emergencial e já está colocando em prática a destinação dos recursos. A diretora Márcia Proença explica que vai reformar o telhado da escola, trocando todo o madeiramento de quatro salas e do banheiro feminino, além de substituição pontual de telhas e troca de fiação da caixa de distribuição. “Vamos fazer reparos necessários nos pontos críticos, melhorando o espaço físico da nossa escola”, destacou.

A primeira tarefa dos trabalhos foi a poda de árvores e a limpeza das calhas, uma vez que a escola é arborizada e as folhas caem sobre o telhado, causando obstrução no escoamento da água. O trabalho da diretora já movimentou a comunidade escolar, que está empenhada em otimizar o ambiente e já se prontificou a ajudar na pintura da escola. “A participação da comunidade é essencial”.

A Escola Estadual Coutinho União, localizada na zona rural de Querência (a 945 quilômetros ao nordeste da Capital) utilizou a verba emergencial para trocar o transformador, que queimou e deixou a escola sem energia. O transformador foi atingido por um raio durante uma tempestade que caiu no local. “A verba emergencial foi a solução para o problema”, destacou a coordenadora pedagógica Cristiane Kolling.

A Escola está localizada a cerca de 100 quilômetros da cidade e atende aproximadamente 400 alunos.

A solicitação da verba emergencial está prevista na instrução normativa 06/2018 e deve ser feita pelo conselho deliberativo da comunidade escolar, representantes legais dos Cefapros e assessorias pedagógicas, por meio do Sistema Integrado de Gestão Educacional (SigEduca).

Conforme o secretário adjunto executivo da Seduc, Alan Porto, o valor da verba emergencial foi atualizado no ano passado e passou de R$ 14 mil para até no máximo R$ 64 mil.

“O recurso é destinado às unidades que apresentam problemas emergenciais, como na cobertura, no telhado, na parte elétrica ou hidráulica.  Enfim, dificuldades que ofereçam riscos à segurança dos alunos e profissionais. O ajuste no valor vai contribuir para que a escola consiga fazer os reparos necessários”, enfatiza.

Alan Porto explica que do total de 768 unidades educacionais, pelo menos 400 precisam de reformas. “Mas não temos condições de atender a todas, por isso utilizamos desse instrumento e a escola tem condições de reparar o imóvel de forma urgente”.





Postar um novo comentário





Comentários

Comente esta notícia






Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet