Cidades Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 08h:19 | Atualizado:

Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 08h:19 | Atualizado:

CASO ZAMPIERI

OAB quer atuar como assistente de acusação contra réus por morte de advogado

 

VINICIUS MENDES
Gazeta Digital

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

reus-zampieri

 

Em entrevista nesta terça-feira (9) a presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MT), Gisela Cardoso, afirmou que o órgão quer atuar como assistente de acusação no processo contra os réus pelo homicídio do advogado Roberto Zampieri, ocorrido em 5 de dezembro de 2023 em Cuiabá. O inquérito do crime foi concluído pela Polícia Civil e os réus foram indiciados. 

Uma entrevista coletiva foi realizada na manhã desta terça-feira (9) na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para anunciar o indiciamento dos réus por homicídio duplamente qualificado, crime praticado à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido; e mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe. 

Ficou comprovado o elo entre Aníbal e o intermediário coronel Etevaldo Luiz Cassadini de Vargas. E por fim, o vínculo entre Etevaldo e os executores. Ao GD a presidente da OAB-MT afirmou que desde o início das apurações a instituição tem acompanhado o caso.

“Desde a fase das investigações a gente tem acompanhado junto com a polícia, acompanhamos as prisões, agora a conclusão de um inquérito. Agora é acompanhar no âmbito da justiça e esperamos que efetivamente haja a conclusão e a pena dos culpados por mais esse crime”. 

Ao ser questionada se a Ordem pretende fazer parte do processo como assistente de acusação, Gisela disse que o pedido será feito. “Nós acompanhamos no âmbito da investigação, tivemos uma comissão acompanhando. Essa comissão provavelmente agora nós requereremos também, no âmbito judicial, que a OAB possa estar acompanhando sim”. 

O caso

Roberto Zampieri tinha 56 anos e foi assassinado na noite do dia 05 de dezembro, na frente de seu escritório localizado no bairro Bosque da Saúde, na capital. A vítima estava em uma picape Fiat Toro quando foi atingida pelo executor com diversos disparos de arma de fogo. O executor foi preso na cidade de Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte (MG). 

O mandado de prisão de Antônio Gomes da Silva foi cumprido pela Delegacia de Homicídios da capital mineira em apoio à Polícia Civil de Mato Grosso, que investiga o crime ocorrido contra o advogado. 

No dia 22, Hedilerson Fialho Martins Barbosa, membro do Exército e instrutor de tiro, foi apontado como intermediário do crime, sendo responsável por contratar o executor e entregar a arma de fogo. Coronel do Exército, Etevaldo Luiz Cacadini de Vargas, foi preso no dia manhã de janeiro, em Belo Horizonte (MG), acusado de ser o financiador do crime. O suposto mandante, Aníbal Manoel Laurindo, está solto.





Postar um novo comentário





Comentários (1)

  • Arnaldo Souto

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 13h53
  • A OAB-MT, prometeu organizar a sala de Estado Maior, só ficou me blá blá, política da Presidenta atual.
    0
    0









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet