09 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 18h:19 | Atualizado:

MORTE DE PASTOR

Secretário organizou enterro com 5 mil em Cuiabá

enterro-pastorsebastiao.jpg

 

O secretário municipal de Ordem Pública, coronel Leovaldo Sales, disse que foi o responsável pela organização do sepultamento do pastor Sebastião Rodrigues de Souza, 89 anos, que morreu vítima da covid-19. O rito fúnebre contou com cerca de cinco mil pessoas no cemitério Parque Bom Jesus, em Cuiabá.

Em entrevista concedida à Rádio Nativa no início da tarde desta sexta-feira, o coronel afirmou que ajudou na organização da cerimônia com a finalidade de evitar que desrespeitos graves às medidas preventivas ocorressem, uma vez que a necessidade da cerimônia se destacava por conta de o pastor ser uma figura pública de prestígio.  

Gravada pela coordenação da Igreja Assembleia de Deus de Mato Grosso, a cerimônia de sepultamento contou com diversos flagrantes de descumprimento às normativas determinadas pelas autoridades sanitárias competentes contra o espalhamento da covid-19.

Aglomeração, não utilização de máscara e desrespeito ao distanciamento social mínimo de 1,5 metros foram algumas das cenas gravadas durante o rito fúnebre realizado em Cuiabá, que é a cidade de Mato Grosso com maior registro de ocorrências por conta do novo coronavírus.

À frente da pasta responsável por fiscalizar os descumprimentos das medidas de prevenção à covid-19, o coronel afirmou que encaminhou comunicado ao promotor de Justiça Alexandre Guedes e ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), informando que participaria da organização do evento.

Desafiado a orar cinco mil vezes pelos presentes na cerimônia, o secretário respondeu que crê em um Deus que protegeu a todos os participantes do enterro.

“Eu não preciso repetir cinco mil vezes, eu creio em um Deus que é capaz de proteger todos aqueles que participaram do sepultamento de um grande homem que este mesmo Deus colocou aqui na terra e graças à boa vontade deste mesmo Deus colocou aqui na nossa cidade, na nossa capital. Para ajudar a construir nosso estado e para ajudar a construir nossa capital”, afirmou o coronel.

 



Postar um novo comentário

Comentários (20)

  • Lara | Sábado, 11 de Julho de 2020, 16h55
    1
    0

    Infelizmente, está muito óbvio que as regras sanitárias não estão, e não vão surtir efeitos em Cuiabá! O pau que bate em Chico, não bate em Francisco! Os pobres, de todas as religiões, não são importantes para às suas famílias; por isso, são ensacados, enterrados em vinte minutos, com apenas dez pessoas presentes. Aos ricos, aglomerações e cerimônias intermináveis de sepultamentos. Falta de respeito com a população! Não sei de que adianta proibir as festas, se permitem aglomerações muito maiores nos sepultamentos de autoridades religiosas com a covid19...

  • Lauro Araújo | Sábado, 11 de Julho de 2020, 09h22
    0
    4

    Matéria completamente distorcida e mentirosa. estive no sepultamento do pastor e pude constatar que não foi o secretario que organizou o enterro ou que levou uma multidão ao cemitério. Este site deveria fazer uma retratação pública e divulgar a verdade, e a verdade é esta: se não fosse a participação do secretário em ajuda a direção do cemitério a aglomeração seria muito pior. o que o secretário Sales fez foi impedir o caos absoluto, delimitando o espaço dos milhares de fiéis que foram ao sepultamento, procurando manter a todo custo o distanciamento entre as pessoas. Sou testemunha de que ninguém estava sem a máscara...por isso quero registrar aqui o meu protesto contra a maldade desta matéria e parabenizar o coronel por ter evitado o caos naquele evento.

  • Jones Arruda | Sábado, 11 de Julho de 2020, 09h21
    2
    0

    Irresponsavel canalha e ainda vem na imprensa falar que organizou essa PALHAÇADA.

  • Luis Carlos | Sábado, 11 de Julho de 2020, 08h49
    1
    0

    Cadê a justiça ? Por que para alguns poder outros não, se o decreto é o mesmo para todo mundo? Desrespeito à quem teve alguém querido e não pode despedir, vergonha também ao MP ficar negligente ao fato. Que exemplo, quer acabar com aglomeração, se a própria prefeitura infringiu normas?

  • alexandre | Sábado, 11 de Julho de 2020, 08h37
    2
    0

    Faça o que digo, mas não faça o que faço, o exemplo arrasta..bom pra cobrar dos outros, ruim pra cumprir a própria bj norma

  • Amaral antunes | Sábado, 11 de Julho de 2020, 07h15
    2
    0

    Idolatria macabra

  • Peterson | Sábado, 11 de Julho de 2020, 07h06
    3
    0

    Ao J. José, os 200 mil tem que ser fiél a Deus e não a pastor, padre, etc. As pessoas idolatram alguém que está aqui na terra e mais do que o próprio Deus, dizem que são fiéis e chamam o seu próximo de otário. Ao secretário, ele acaba de afirmar que quem é figura pública pode descumprir regras, o MP deveria aciona-lo na justiça por descumprir um decreto Municipal/Estadual. Reitero que não é nada contra o pastor ( que Deus o tenha ). Mas todos tem um certo prestígio perante sua família e nem assim tiveram o direito de um velório digno.

  • Ggm | Sábado, 11 de Julho de 2020, 05h38
    2
    0

    Os crentes sempre querendo privilégios.

  • Lucas Mili | Sábado, 11 de Julho de 2020, 00h25
    2
    0

    Esse é o cara que vai na tv e fala pro povo ficar em casa, que vai até o estabelecimento do cidadão e acha no direito de mandar fechar . Com que moral ? Essa gente não tem respeito por ninguém, o mau exemplo vem de cima pra baixo. Na hora que o povo se revoltar e começar a colocar essa gente em seu lugar aí eu quero ver. Por isso já estão sendo recebidos com carinho pela população. Vai esperar o que tbm desse secretário o cargo que ele ocupa é da igreja, o prefeito deu essa boquinha pra ele pra fazer média com a igreja. Aí ele tem que colocar o rabo entre as pernas e deixar essa gente fazer aquela presepada.

  • MARIA TAQUARA | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 22h32
    2
    0

    É, parece que para o secretário o Decreto da Prefeitura é apenas uma sugestão. Dá de usar esta decisão dele como precedentes para furar a quarentena, isolamento?

  • Paulo | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 22h24
    2
    0

    Era da igreja dele, ai ele deixa fazer tudo e nao fiscaliza e nao cumpre com seu papel

  • Renato | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 22h02
    31
    0

    Muitos famílias enterraram seus entes queridos as pressas , e aí eu vejo uma notícia dessa.

  • J.José | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 21h14
    3
    29

    Pastor Sebastião tem mais de 200 mil fiéis em Cuiabá, então foi organizado sim seus otários que comentaram antes.

  • Claudivam | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 21h13
    32
    2

    Que absurdo. Inaceitável. Todos os mortos até o momento, não tiveram despedida de seus familiares, aí vem uma situação desta de aglomeração. Depois , irão com a maior cara de pau, usar os leitos e respiradores da saúde. Deveriam ser processados pelo ministério público. Esse pessoal não tem noção da gravidade desta doença

  • Paolo | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 20h42
    34
    1

    E aí o babaca que organiza a CAGADA e o MP não vai tomar nenhuma atitude?

  • Contribuinte Indignado | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 20h40
    34
    2

    Acho engracado isso ne senhor secretario quer corrigir os outros e fazendo coisa errado ta certo isso prefeito quem sao vcs para chama atencao nossa palhacada viu.

  • ZÉ MANÉ | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 20h26
    35
    1

    OS responsáveis pela aglomeração deveriam serem preso. Ou seja, o secretário de ordem pública e o seu Chefe o Prefeito. Que resposta mais sem noção..quer dizer que Deus proteje os crentes aglomerados no enterro do dito pastor da sua igreja e mata com o coronavírus os de outras religiões.. É UM BRINCANTE MESMO esse secretario Leovaldo

  • Peixinho | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 20h08
    38
    2

    Bem organizado neh? Semana que vem poe a culpa no comércio aberto, tal prefeito, tal secretário ...segue o Bond pelo organização de Cuiabá até o final de 2022 ....alguma coisa volta a funcionar por aqui..........obs: nada contra o Sebastião , mais o momento tem que ser para todos neh.

  • Costa | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 19h38
    30
    2

    Palhaçada. Pra uns sepultamento tem limite máximo 10 pessoas agora pque é conhecido pastor coisa e tal pode ter 5 mil pessoas. Esse secretário é uma piada com essa atitude.

  • Dito Bola | Sexta-Feira, 10 de Julho de 2020, 19h38
    23
    4

    Se esse homem que crê em Deus pode proteger à todos lesse mais a Bíblia, saberia que "Não devemos tentar o Senhor, Nosso Deus"- Dt 6.16...

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS