14 de Novembro de 2019,

Cultura

A | A

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2014, 07h:25 | Atualizado:

Ponto de Cultura de Mato Grosso leva teatro a Porto Velho

Palavras e expressões como corrupção, formação de cartel, controle, preço e crise de mercado, entre outras, ganha um cenário propício às referências amazônicas, no espetáculo “A Santa Joana dos Matadouros”, pelo Ponto de Cultura Teatro Experimental de Alta Floresta (TEAF), da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SEC-MT). A temporada 2014 leva o grupo para Porto Velho, no Estado de Rondônia, por meio do Programa BR Distribuidora de Cultura. Neste fim de semana, 21 e 22, se apresentam no Sesc Esplanada. 

Em cena, sete atores mostram a história de uma jovem militante, do movimento cristão, que trabalha em prol dos pobres e oprimidos e o seu envolvimento com eles. O texto épico de Bertolt Brech, escrito entre os anos de 1928 e 1931, expõe de forma clara e didática como as grandes empresas determinam o funcionamento do mercado, liquidando com os concorrentes, criando seus impérios e monopolizando o mercado.

São 30 personagens no espetáculo, cujos atores Anderson Flores, Angélica Müller, Cassiane Leite, Fernando Nunes, Gean Nunes, Patrícia Pereira, Ronaldo Adriano, acompanham a narrativa realizando a ambientação sonora, tocando, cantando e operando a luz do espetáculo.

O TEAF, juntamente com o diretor convidado do Grupo Celeiro das Antas (Brasília), José Regino, realizam uma montagem dinâmica e atual, lançando mão de recursos propostos por Brecht em suas experiências com o teatro Épico. As músicas foram compostas pelos atores, ora musicando as letras do texto, ora compondo as letras e se apropriando de melodias resgatadas das memórias do grupo.

O grupo 

O Teatro Experimental de Alta Floresta está sediado no município de Alta Floresta e completa 26 anos com mais de 35 espetáculos teatrais. O trabalho é resultado do anseio do grupo em trabalhar com o Processo Colaborativo na construção dos seus espetáculos, que também é a forma de gestão das outras atividades do grupo. Nesta porção da Amazônia a atividade pecuária é forte e A Santa Joana dos Matadouros vem também desta afetação do local/região nos trabalhos do grupo. 

Para o TEAF a oportunidade de mostrar seu trabalho em outros estados amazônicos, cuja realidade socioeconômica não difere muito da vivida pelo grupo na porção amazônica de Mato Grosso é motivo de muito entusiasmo. E por isso, além das apresentações também irá promover um momento de intercâmbio e partilhamento dos modos de produção, pesquisas e realidades dos grupos por meio de conversas com os grupos locais.

Além disto, promove anualmente o Festival de Teatro da Amazônia Mato-grossense e o Seminário de Cultura de Alta Floresta, que estão em suas sexta e décima edição, respectivamente. Em 2013, inaugurou sua sede própria – o Espaço Cultural TEAF -, local que abriga a Biblioteca Comunitária Entrelinhas, a qual mantém desde 2005, além das salas administrativas e espaço multiuso destinado para as apresentações teatrais, cursos e outras atividades promovidas pelo Grupo.

Ficha técnica 

 

Montagem: Teatro Experimental de Alta Floresta 

Texto: Bertolt Brecht 

Direção: José Regino 

Assistente de Direção: Ronaldo Adriano 

Figurinos e Adereços: José Regino e TEAF 

Cenário: José Regino 

Iluminação: Ronaldo Adriano 

Trilha sonora: TEAF 

Maquiagem: TEAF 

Preparação musical (canto): Valdir Garcia Jr. 

Preparação musical (instrumental): Eduardo Rodrigues dos Santos 

Direção de Produção: Angélica Müller, Cassiane Leite e Elenor Cecon Júnior 

Material Gráfico: Maria Carolina Vieira 

Fotografias: Vanessa Bispo 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS